A reunião ordinária da Câmara Municipal de Três Pontas foi realizada na noite desta segunda-feira (08), com quatro Projetos de Leis e um Requerimento. A ausência foi novamente do vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB) que foi diagnosticado com Dengue e está afastado do trabalho. Quem assistiu a sessão foi o presidente da Associação Comercial Bruno Dixini Carvalho. Um parte dela permaneceu no Plenário, o provedor da Santa Casa Michel Renan Simão Castro.

No Pequeno Expediente, os vereadores continuaram as críticas ao Poder Executivo. O principal foco permanece sendo a manutenção básica da cidade. O vice presidente da Câmara Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD) disse que a insatisfação da população é geral quanto a falta de serviços realizados pela Secretaria Municipal de Transportes e Obras. Ele citou a manutenção das estradas rurais e a quantidade de buracos nas vias, como sendo os maiores problemas.

Endossando o que o colega de partido havia dito, o vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD), reforçou que foi à zona rural e relatou que as estradas rurais estão em péssimas condições. O parlamentar comentou que na semana passada, o prefeito Marcelo Chaves (MDB) foi a Brasília, deixando a cidade em um momento crítico, em relação aos casos de Dengue, para falar mal de vereador, no gabinete do deputado federal Diego Andrade (PSD-MG).

Sérgio Eugênio Silva (PPS), que está mantendo um bom relacionamento com o Poder Executivo, afirmando inclusive que é amicíssimo do prefeito Marcelo Chaves, mas que sabe separar as coisas por ser da oposição, disse que a situação agora ficou estranha, pois a atuação da situação desapareceu. Isto porque, todos, sem exceção, tem criticado a atual Administração, porém, acrescentou que não fosse a renúncia do ex-prefeito Dr. Luiz Roberto acredita que a situação da cidade estaria muito pior.

SAAE vai comprar caminhão moderno de R$860 mil

Os dois primeiros projetos da pauta da sessão desta semana, se referente ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). Os dois autorizam a utilização de recursos oriundos de superávits financeiros.

Um no valor de R$398.120,00, para a compra de quatro mil hidrômetros que precisam ser substituídos, pois estão com o tempo de uso acima do recomendado pelo fabricante, causando perdas no faturamento do Saae em função de desgaste.

O outro, é um montante de R$1.021.864,06 que serão aplicados na autarquia. Sendo R$860 mil na aquisição de caminhão com hidrojateamento e sucção para a manutenção periódica das redes coletas de esgoto do Município e das estações de tratamento de esgotos dos distritos do Quilombo Nossa Senhora do Rosário e Pontalete, R$98 mil na substituição do tanque de 4 mil litros para caçamba em formato de concha e retroescavadeira acoplada em um caminhão e R$63.864,06 na obra de pavimentação do pátio da Estação de Tratamento de Água (ETA I) na Avenida Ipiranga e a substituição.

Alguns vereadores defenderam o investimento, que foi apresentado durante a reunião das Comissões pelos diretores. Eles souberam que o veículo de mais de R$800 mil, valor que inicialmente assusta, suga o esgoto e sempre que é utilizado precisa ser alugado e o custo gira em torno de R$400 mil por ano.  Ambos os projetos foram aprovados por unanimidade.

Do Poder Executivo

Alteração no Orçamento foi aprovada diante de uma abertura de crédito adicional especial, no valor de R$6 mil, incluindo como elemento de despesas, o pagamento de indenizações para a rescisão de conselheiros tutelares.

Um projeto que gerou comentários dos vereadores foi incluso na pauta, a pedido do vereador Antônio do Lázaro. Ele autoriza o Município, a licitar a concessão de uma área de 9,7 mil metros quadrados localizada na Estrada Municipal CTP 050 no quilômetro 1, na região dos Quatis, no período de 10 anos. Quem vencer a disputa licitatória, terá que construir um galpão industrial no terreno no prazo máximo de 180 dias. O faturamento exigido é de R$200 mil mensais no primeiro ano e gerar em três meses, no mínimo oito empregos diretos. O projeto estava na Câmara desde outubro do ano passado, mas havia penhora no terreno.

O vereador Coelho cobrou resultado das licitações que foram votadas desde o início do mandato, pois já aprovou vários incentivos e eles não viram ainda resultados concretos. Revelou que as vezes da medo aprovar este tipo de projeto, já que tem colegas que respondem até hoje a processos na justiça por conta da forma que as doações foram feitas no passado. Sérgio alertou que é preciso investigar se as empresas estão cumprindo com todos os encargos que são impostos.

Documentos à Câmara

Do vereador Roberto Donizetti Cardoso (Robertinho – Podemos), foi aprovado um Requerimento que requisita ao Executivo, cópias de notas fiscais da compra de climatizadores de ar para caminhões da Prefeitura.

COMPARTILHAR