*Comandante geral da PM prometeu usar todos os recursos e não descansar até encontrar o suspeito

A morte do sargento da Polícia Militar, Rodrigo Sarto Lomonte Oliveira de 37 anos, na cidade de Boa Esperança provocou comoção em toda a região. A procura pelos bandidos, suspeitos de terem matado o PM com um tiro na cabeça, na noite deste sábado (16), mobilizou pelo menos 150 policiais militares de várias cidades da região, além da equipe do Canil do 24º Batalhão de Varginha, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) de Belo Horizonte, o Helicóptero da PM e policiais civis de Boa Esperança e Três Pontas.

A procura pelos criminosos na mata terminou no fim do dia, mas será reiniciada logo de manhã nesta segunda-feira (18). Investigadores da Polícia Civil de Três Pontas, continuam fazendo levantamentos e buscando informações. Ao longo do dia, cinco pessoas já conhecidas no meio policial, foram conduzidas à Delegacia de Polícia Civil que poderiam dar detalhes sobre o crime. Elas foram ouvidas e liberadas. A polícia quer saber se o mesmo criminoso que furtou a motocicleta na sexta-feira em Boa Esperança, são os mesmos que mataram o policial.

A reconstituição do crime já foi realizada no fim do dia. O local do crime é usado por usuários de drogas. A Polícia Civil já iniciou as investigações e busca imagens dos lugares por onde os criminosos passaram durante a fuga para tentar ajudar na identificação dos suspeitos. A guarnição comandada pelo Sargento Sarto encontrou com a motocicleta furtada com os dois ocupantes no Centro, enquanto fazia patrulhamento. Eles não obedeceram a ordem de parada e se iniciou uma perseguição. Eles percorreram um trecho grande na contramão e estavam sendo perseguidos pela viatura.

No bairro Popular, os dois homens caíram da moto e entraram em um matagal. Os policiais começaram às buscas à pé e o Sargento não foi mais visto. O colega ouviu cinco disparos de arma de fogo. O policial ficou desaparecido por quase três horas. Ele só encontrado cerca de três horas depois, após buscas dos demais militares, com ajuda de equipes de Varginha. Sargento Rodrigo foi encontrado inconsciente no meio de um matagal, com um ferimento na cabeça. Ele chegou a ser socorrido até o Pronto Socorro de Boa Esperança, onde sofreu uma parada cardiorespiratória e morreu.

O corpo de Rodrigo Sarto foi velado no Cemitério central de Varginha durante apenas duas horas, por causa das restrições à Covid-19. Militares de Três Pontas, Boa Esperança e de outras localidades foram se despedir do colega e se solidarizar com a esposa Rízia Sarto. Ele deixa um menino de 9 anos de idade.

Na PM desde 2008, ele trabalhou em Três Pontas onde morava, depois comandou o Destacamento de Coqueiral e por último estava lotado na 172ª Companhia de Boa Esperança.

No sepultamento, houve honras militares e a presença do comandante geral da PM, Coronel Giovanne Gomes da Silva que homenageou o sargento morto enalteceu seu empenho incansável no combate a criminalidade. Ele citou um trecho bíblico e mencionou que o sargento está em um bom lugar. Aos seus familiares e amigos deixou os agradecimentos e a certeza que todos os recursos disponíveis da Polícia Militar serão empenhados para que o autor do homicídio seja preso e cumpra a pena que merece. “Não iremos descansar enquanto isto não aconteça”, anunciou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here