Pessoas com idade entre 20 e 49 anos, que ainda não se vacinaram contra o sarampo, ainda dá tempo de se imunizar, pois a campanha foi prorrogada até o dia 31 de agosto. Em Minas Gerais teve 12 casos confirmados este ano, inclusive um em Três Pontas. O paciente é uma criança, de apenas dois anos de idade, que o caso foi confirmado e está sendo acompanhado pela equipe da Vigilância Epidemiológica. Há pelo menos 20 anos que o sarampo não era diagnosticado na cidade.

Em Três Pontas, apesar da expectativa da Secretaria Municipal de Saúde em vacinar 24.753 pessoas, apenas 5.328 doses foram aplicadas, uma cobertura vacinal bem abaixo do esperado, contra o vírus que voltou a circular no país em 2018. É muito importante tomar a vacina, pois ela é a única forma de prevenção à doença. É preciso ir até a Unidade Básica de Saúde mais próxima levando o cartão de vacinação. Na hora de se vacinar, use máscara e mantenha distância mínima de dois metros das outras pessoas.

A coordenadora municipal do programa de imunizações Lara Miranda Silva, explica que a vacinação contra o Sarampo é realizada independentemente da situação vacinal das pessoas, porque a campanha é indiscriminada. Isso significa que, mesmo que a pessoa já tenha o cartão de vacina atualizado, ou seja, constando registro de vacina contra o Sarampo, as pessoas que pertencem a esta faixa etária precisam se vacinar. A grande dificuldade é não poder fazer uma grande campanha de divulgação, para não haver aglomeração nas unidades.

Nem todos que se vacinam estão livres da doença. É que independente de criança ou adulto, pode ocorrer do organismo não criar imunidade contra estas doenças. Isto acontece em uma pequena porcentagem, pois depende do sistema imunológico de cada um. É por isto, que o Ministério da Saúde realiza a cada 8 ou 10 anos, campanhas indiscriminadas, para conseguir atingir esse grupo que não criou imunidade contra estas doenças, assim como a febre amarela, catapora, entre outras.

Sobre o sarampo

O vírus sarampo ainda circula em grande quantidade em várias regiões da Europa e da América. Por causa das migrações e de viagens internacionais, o vírus foi importado e voltou a circular no país desde fevereiro de 2018. A baixa imunização da população brasileira, que vem caindo nos últimos anos, também contribuiu para a volta da circulação do vírus.

A doença, que chegou a ser considerada erradicada no país, acometeu 29.233 pessoas e levou 30 pessoas a óbito no país, segundo dados do ministério da saúde. Em Minas Gerais, em 2020, já foram confirmados sete casos de sarampo.

A transmissão da doença ocorre diretamente de pessoa a pessoa, através de gotículas do nariz, boca ou garganta de infectados pelo vírus. O sarampo pode evoluir para complicações graves, incluindo encefalite, pneumonia e morte, principalmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

Os principais sintomas do sarampo são febre, manchas avermelhadas pelo corpo (exantemas), tosse, coriza, conjuntivite (olhos vermelhos e lacrimejantes), fotofobia (sensibilidade à luz) e pequenas manchas brancas dentro da boca (manchas de Koplik).

Vacina da gripe está liberada

A Secretaria de Saúde liberou doses de vacinas contra a gripe para o público em geral e não apenas para os grupos prioritários. Em Três Pontas são 4 mil doses remanescentes, que sobraram, e estão disponíveis para toda a população nas unidades básicas de saúde desde o dia 30 de junho.

A vacinação contra a gripe começou pelos idosos no fim do mês de março, época em que houve muita correria nos postos de imunização montados na cidade. Depois disso, a procura diminuiu muito e nem todas as metas foram alcançadas, principalmente de crianças.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here