O prédio do antigo Centro Pediátrico Dr. Glimaldo Paiva, no bairro Paraíso, voltou a ser utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Três Pontas.

Depois de receber reparos por causa da ação constante de vandalismo, o imóvel abriga a partir desta terça-feira (24), profissionais de saúde para atender pacientes com problemas respiratórios, tosse, coriza e dores no corpo, sintomas que podem indicar o Coronavírus (Covid-19). O médico chefe do Pronto Atendimento Municipal (PAM) Dr. Lucas Eduardo Erbst Marques (foto) explica que a estratégia é fazer uma triagem e os casos mais graves, como falta de ar, como cólica renal, acidentes, dores abdominais intensa atendimentos normais de fluxo, entre outros casos graves, continuam sendo no PAM.

Caso algum paciente chegue em estado mais grave no Centro de Atendimento, o próprio serviço vai encaminhá-lo ao PAM. “Precisamos separar os casos gripais do PAM para que o vírus não se alastre. Vamos isolar esses pacientes respiratórios dos outros que vão ficar no Pronto Atendimento, para que a gente consiga também dessa forma diminuir a contaminação viral”, contou Dr. Lucas.

O Chefe do PAM revela que nos últimos cinco dias houve uma diminuição importante nos atendimentos de pacientes com consultas de rotina no serviço de saúde. Com a diminuição, é possível preparar para receber os trespontanos com sintomas mais graves. “O PAM continua aberto, mas o que a gente pede é que não procurem em situações que não seja grave, para não correr o risco de ter uma infecção pelo Covid-19”, reinterou o médico.

Ala pronta para qualquer eventualidade

A ala criada para receber pacientes em estado grave, que necessitem de isolamento está pronta. Mas ela pode ser usada tanto pelo PAM como pelo próprio Hospital São Francisco de Assis. Tudo vai depender de como a infecção vai evoluir.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here