Os vereadores se reuniram na noite desta quinta-feira (26), para a sessão ordinária da Câmara Municipal de Três Pontas. A reunião foi transferida por conta do feriado municipal na segunda-feira (23), do dia de Padre Victor. Os vereadores Donizetti Benício Baldansi (PSL), Luiz Flávio Floriano (Flavão – PSL) e o vice presidente Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD) não participaram. Eles viajaram para Brasília onde cumprem agenda oficial. Com a ausência de Antônio, Érik dos Reis Roberto (PSDB) foi convidado a ocupar a Mesa Diretora em seu lugar.

Sem nenhum projeto na pauta de votações, a sessão foi resumida as falas dos vereadores no Pequeno e Grande Expediente. A secretária da Mesa Diretora, Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT), anunciou a conquista de uma mini Van para a Secretaria Municipal de Saúde, através de emenda parlamentar do deputado estadual Carlos Pimenta (PDT). O parlamentar já colocou outra para uma academia ao ar livre. A vereadora cumprimentou o Grupo Cafeína da Cocatrel que participou do Circuito Mineiro de Cafeicultura, realizado nesta quinta-feira (26) e que na visão dela é fundamental para a agricultura.

O vereador Érik dos Reis contou na Tribuna que recebeu resposta a solicitação feita por ele a algumas semanas, sobre a suposta intervenção do Ministério Público, na marcação de exames e consultas. Ele se diz satisfeito, com a informação dada pela Secretaria Municipal de Saúde que não há marcação e nem interferência do MP nesta questão e que é obedecida a ordem cronológica da lista de marcação.

Érik comentou sobre a Festa do Padre Victor, parabenizando a Associação Padre Victor e reiterando que não é possível agradar a todos quanto a colocação da feira. “Era no pátio do antigo Parque de Exposições dava problema. Mudou para Avenida Oswaldo Cruz foi algo de reclamação. Agora foi para o Parque da Mina e o povo continua reclamando,” ponderou Érik dos Reis, que reinterou que as pessoas sempre procuram algo para reclamar. O importante é reclamar e não viver reclamando.

O vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD), quer informações da Secretaria de Meio Ambiente dos gastos que o Município está tendo com a destinação do lixo doméstico. Ele quer detalhado quanto a Prefeitura está pagando por tonelada e qual a quantidade está sendo recolhida na cidade. “As pessoas me procuraram e a gente precisa saber para informar a população”, reforçou Coelho.

Outro pedido dele é quanto a lista de espera para vagas de crianças nas creches municipais. Mães continuam dizendo que a lista não está sendo obedecida e tem gente furando fila. Ele terminou falando também da feira da Festa do Padre Victor. Segundo o legislador, a Associação Padre Victor que aluga os espaços, deve investir para melhorar a infraestrutura para atender aos barraqueiros. Uma das maiores demandas é por sanitários, principalmente para tomar banho.

O presidente da Câmara Maycon Douglas Machado (PDT) agradeceu o empenho de funcionários da Casa para a Plenária estadual do Parlamento Jovem, realizada semana passada em Belo Horizonte. O presidente do PJ revelou que pelo segundo ano consecutivo, a Câmara conseguiu levar todos os jovens para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), onde eles debateram a discriminação étnico-racial. Ele acredita que a ida deles e a visita em gabinetes de alguns deputados, vão somar na formação cidadã e política de cada um. Em 2020, o tema será meio ambiente e foi também uma sugestão da microrregião de Três Pontas.

Maycon também comentou sobre a conquista da mini Van para a Saúde. O presidente enfatizou que o pedido havia sido feito a um ano e o deputado tem ajudado em decorrência dos votos que recebeu na cidade a pedido dele e de Marlene.

Na viagem que fizeram à Capital, Maycon e Marlene aproveitaram para visitar a Rede Cidadã, souberam que novas empresas estão sendo conveniadas e vai permitir que mais jovens sejam beneficiados com a primeira oportunidade no mercado de trabalho. Atualmente são 23 e a expectativa é que até dezembro chegue a 50 jovens.

Participando de eventos no Município, Maycon parabenizou a Associação Padre Victor e a Paróquia Nossa Senhora D’Ajuda pela festa do Padre Victor, o banco Santander que acaba inaugurar uma agência no Centro e o Circuito Mineiro de Cafeicultura que reuniu muitos produtores, em busca de tecnologia e informações para o café.

Robertinho vai à Justiça contra venda de terreno

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (Robertinho – PP) usou da Tribuna no Pequeno e Grande Expediente, para demonstrar suas insatisfações com o Poder Executivo. Ele começou por uma postagem da Prefeitura feita em uma rede social, enfatizando a manutenção das estradas rurais que estariam em perfeitas condições. O filho dele Roberto Júnior comentou que a atual Administração estava mantendo as obras feitas no mandato anterior. É que Robertinho, foi chefe de manutenção de estradas quando Paulo Luis Rabello era prefeito. A Assessoria de Imprensa teria respondido ao comentário de Juninho, dizendo que desconhecia qualquer obra feita nesta época e que não havia nenhuma obra. O vereador respondeu que pode mostrar pelos menos umas 20 para o assessor, que aliás não deve saber mesmo, porque não é da cidade, é de Campos Gerais. Ele ainda reinterou que raspar estrada e colocar cascalho não é obra é manutenção.

Outro comentário de Robertinho foi quanto a inauguração da agência do Santander nesta quarta-feira. Durante o discurso do prefeito Marcelo Chaves ele citou o nome de todos os vereadores presentes, menos o dele. Ele não fica chateado por isto, mas lembra que o prefeito o conhece quando precisa aprovar projetos na Câmara.

A situação foi diferente, segundo o vereador, quando o gestor foi na Câmara na semana passada durante uma reunião de Comissão, falar sobre um projeto em que o Poder Executivo pretende vender um terreno no Centro de Eventos. A área é de 33.618,00 m² e Robertinho não concorda com o preço avaliado no metro quadrado do terreno nos Quatis, que é de R$45.

Quando Robertinho chegou para a reunião de Comissão na semana passada, encontrou com o prefeito e os empresários que estão interessados nesta área. Lá já estava o vereador Coelho que já conversava com eles. Ele fazia diversas perguntas e o gestor teria se irritado, revelou o vereador na Tribuna, ao ouvir Coelho dizendo que o valor da área está muito baixo. O estudo foi feito por uma comissão de engenheiros da Prefeitura. Coelho falou que há vereadores respondendo processos e o empresário respondeu que cada um faz a sua parte. O empresário, que é dono de uma grande empresa disse que ao comprar o terreno não haverá aumento da geração de emprego e a questão é o faturamento. Quando Robertinho entrou na conversa, perguntou sobre como ficaria o Centro de Eventos Wagner Tiso, o prefeito Marcelo Chaves respondeu que ele nunca existiu, mas que em seu mandato irá construir um, mais perto e sem gastar um centavo. Ao fazer outro questionamento se eles haviam visto outra área a resposta foi negativa. A única que interessa à empresa seria esta.

Inconformado com a intenção do Executivo ele já antecipou que irá entrar na justiça com uma Ação Civil Pública, contra a venda do terreno, caso o projeto seja aprovado, apesar de acreditar que isto não deva acontecer. Robertinho já contratou um advogado pessoal para cuidar do caso e diz que vai cumprir com o seu papel de vereador. Na opinião dele, como a área será vendida por licitação o empresário não deveria estar lá.

No projeto de lei que ele se refere, visa dar continuidade ao processo de industrialização do Município favorecendo a geração de emprego e renda, além de ter recursos suficientes para arcar com as obras de infraestrutura do próprio distrito industrial do lugar denominado “Quatis”. Junto ao projeto, a Câmara recebeu o laudo de avaliou a área em no mínimo R$1.512.810,00, também uma ata da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Sustentável de Três Pontas (CONDES), que aprovou por unanimidade a venda do imóvel. O projeto foi protocolado no Poder Legislativo a um mês.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here