A foto (arquivo), mostra a bomba costal utilizada pelo agentes que teria sido levada

Três Pontas confirmou até agora, apenas um caso de Dengue em 2019. Foram oito notificações e seis estão ainda em investigação. Porém, as expectativas não são boas em relação a doença. Uma pesquisa de campo sobre a infestação, realizada pelos agentes de endemias entre 07 e 10 de janeiro, mostra que o Município está em situação de risco à uma epidemia de Dengue. Nos locais onde foram feitas as notificações, a Secretaria de Saúde realizou o fumacê, conforme determina as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).

No ano de 2018, foram 74 casos suspeitos notificados, sendo que 42 foram descartados, 31 foram confirmados e um está em investigação. Em relação a Chikungunya, foram feitas ao longo do ano passado duas notificações, um foi descartado e o outro confirmado. Não houve registro da doença Zika Vírus.

De acordo com o médico veterinário do Serviço de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, Marcelo de Figueiredo Gomes (foto), há notícias de que o vírus tipo 2 da doença circulando na região. Dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde já mostram um crescimento de casos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, em relação ao ano passado.

O clima é favorável à procriação do mosquito e a grande preocupação é que 80% dos criadouros estão nos quintais das residências. E por mais que o trabalho se intensifique, são os próprios moradores que precisam ficar atentos todos os dias, ao aparecimento dos locais propícios ao foco. As vistorias são realizadas de segunda a sexta e completam um ciclo na cidade toda de 60 em 60 dias.

A partir do próximo mês, a Prefeitura vai aumentar o número de agentes de endemias e possibilitando atender a todas as regiões do Município. Hoje são 21 profissionais e a meta é chegar a 25.

Prefeitura notifica e multa donos de terrenos baldios

A Vigilância Ambiental está colaborando com o trabalho de fiscalização aos terrenos baldios, que estão com mato alto, cheio de entulhos e lixo. A partir da próxima semana, a Prefeitura irá iniciar a aplicar as multas. Quem não limpa seu terreno, é pode pagar multa de 5% o valor venal do imóvel. Os donos são notificados pelos Correios. A Vigilância Ambiental começou a identificar os proprietários e solicitar a limpeza. Não resolvendo o problema, o caso é enviado à Secretaria Municipal de Fazenda, para que o fiscal de posturas notifique oficialmente. Após o prazo de 7 dias, conforme determinado em lei, a multa chega. “A Prefeitura não tem interesse em multar ninguém. A gente tenta resolver o problema sensibilizando os donos da necessidade de manter seus terrenos limpos, porque ao lado moram pessoas que ficam a mercê da sujeira e principalmente do risco de contrair doenças, como a Dengue. Porém, há casos que não tem jeito. Com isto, aparecem ratos, baratas, escorpiões e pombos Alguns esperam pelo hábito que a Prefeitura tinha de limpar os lotes sem cobrar nada”, afirmou Marcelo Figueiredo. A orientação dele é que ninguém descarte lixo doméstico, pneus, entulhos ou qualquer sujeira em terrenos vazios.

Ele revela que após a divulgação de que deixar o lote sujo gera multa, 80% deles estão sendo limpos. A multa é bem mais cara do que pagar pela limpeza e segundo Marcelo a Prefeitura não tem intenção de multar ninguém.

Reclamações podem ser feitas no setor de Protocolo da Prefeitura. É preciso deixar dados pessoais e o endereço onde está o problema.

COMPARTILHAR