Há um ano, Três Pontas se despedia com muita tristeza da primeira mulher a governar o Município. Adriene Barbosa de Faria Andrade aos 53 anos, morreu no Hospital Sírio Libanês em São Paulo (SP), onde estava internada. Ela lutava contra um câncer.

O carinho pela ex gestora que começou sua trajetória na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e marcou a história política em Minas Gerais, ganhou repercussão nas redes sociais. Uma multidão passou a noite na Apae de segunda-feira, dia 16 de abril, onde o corpo dela foi velado, atendendo a seu pedido. Amigos, admiradores, políticos e companheiros de trabalho do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) começaram em Três Pontas a se despedir da prefeita que quebrou tabu e entre 2001 e 2004, mostrou que o Município tinha potencial para investir no social, na saúde, na infraestrutura e na geração de empregos.

Foto: Arquivo EP

O sepultamento foi na sua terra natal, em Boa Esperança. O translado seguiu em carreata. Primeiro passou pelas principais ruas da cidade. Lá, os esperanceses deram o adeus à filha ilustre no Clube Dorense. No caminhão do Corpo de Bombeiros, o corpo de Adriene Andrade foi levado para o sepultamento no Cemitério Municipal, onde aconteceram as últimas homenagens.

COMPARTILHAR