A Campanha de vacinação contra o sarampo foi prorrogada até o dia 31 de outubro em todo o país. O fim estava programado para a segunda-feira (31), mas foi adiado para outubro, porque a meta de vacinar pessoas entre 20 e 49 anoss, está longe de ser conquistada. Mesmo aqueles que foram vacinados na infância, devem procurar as unidades básicas de saúde.

Em Três Pontas, segundo a enfermeira e coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde Lara Miranda Silva, a meta é imunizar 24 mil pessoas, mas apenas 8,8 mil, 36%, foram aplicadas. Buscando imunizar o maior número de trespontanos possíveis, a Secretaria de Saúde, realizou um Dia D e também mobilizou uma equipe de profissionais que foram até as empresas vacinar trabalhadores. Muitos tem dificuldades de irem aos postos durante a semana. Além disso, pessoas que procuram os postos para atendimentos médicos foram orientados a se vacinarem. “Temos vacina em todas as salas de vacina e precisamos que as pessoas se conscientizem da importância de serem vacinadas e irem até aos postos”, reforçou a coordenadora. Ao irem se vacinar é preciso levar o cartão de vacinas e obrigatoriamente usar máscara.

Foi feita uma ampla divulgação nos meios de comunicação da cidade e um carro de som chamou os moradores, informando a importância de se imunizarem. Segundo Lara Miranda, novas estratégias serão estudadas.

Tomar a vacina é a única forma de prevenção à doença e campanha é indiscriminada. O sarampo já foi considerado erradicado no Brasil, mas acometeu 29.233 pessoas e levou 30 pessoas a óbito no país, segundo dados do Ministério da Saúde. Em Minas Gerais, em 2020, já foram confirmados 12 casos este ano, inclusive um em Três Pontas. O paciente foi uma criança de apenas dois anos de idade, que recebeu orientação e foi acompanhada de perto pela equipe da Vigilância Epidemiológica e já está curada. Há pelo menos 20 anos que o sarampo não era diagnosticado na cidade.

A transmissão da doença ocorre diretamente de pessoa a pessoa, através de gotículas do nariz, boca ou garganta de infectados pelo vírus. O sarampo pode evoluir para complicações graves, incluindo encefalite, pneumonia e morte, principalmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

Os principais sintomas do sarampo são febre, manchas avermelhadas pelo corpo (exantemas), tosse, coriza, conjuntivite (olhos vermelhos e lacrimejantes), fotofobia (sensibilidade à luz) e pequenas manchas brancas dentro da boca (manchas de Koplik).

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here