A Divisão de Transportes e Trânsito da Prefeitura de Três Pontas, está instalando semáforos em dois pontos importantes e de grande movimento de veículos e pedestres na cidade. Se tudo ocorrer dentro do previsto, a partir da próxima semana, os equipamentos já devem estar funcionando. A instalação está sendo realizada pela Contransin de Três Corações, que venceu processo licitatório para realizar o serviço.

No alto da Avenida Ipiranga, no “trevo” da antiga Fiat o conjunto semafórico vai dar mais mobilidade a quem está nas duas vias e na Rua João Batista Reis. Nela, o movimento é enorme, principalmente no fim da tarde, quando chega a ser registrado congestionamentos. Na terça-feira os postes foram colocados sobre o jardim e nesta quarta-feira (19), os equipamentos foram instalados.

De acordo com a Divisão de T e T, os aparelhos devem entrar no período de testes e a expectativa é que já estejam funcionando na próxima semana. Paralelamente, os servidores da Divisão de Transportes e Trânsito devem fazer a sinalização vertical e horizontal, adequando com o dispositivo.

Outro local que também ganhará semáforos, será o cruzamento das Avenidas Oswaldo Cruz e Zé Lagoa e a Rua Boa Esperança, no bairro Peret. O fluxo enorme em frente ao Posto Santa Terezinha ficou ainda maior desde 1º de janeiro, quando a Rua Boa Esperança passou a ter mão dupla. Atravessar a pé neste trecho se transformou em desafio. O problema se arrasta há anos e agora, a Prefeitura adquiriu o conjunto semafórico para ser instalado nos quatros lados das vias, com quatro tempos e deve dar pelo menos mais mobilidade e rapidez aos motoristas e segurança aos pedestres.

Imagem feita nesta quarta-feira as 17:00 horas, mostra o trânsito travado. Quem chega de Varginha precisa ter paciência para cortar a Avenida Ipiranga

Segundo a Divisão, todo o trânsito está sendo estudado e as intervenções já estão acontecendo na cidade inteira. Elas são feitas após estudo técnico realizado pelo Chefe da Divisão de Transportes e Trânsito o Engenheiro da Mobilidade Danilo Alves da Silva, que analisa qual intervenção é a mais adequada para cada localidade.

COMPARTILHAR

Comentários