O Grupo Corpo de Dança Ritmos demonstrou que não é preciso muito para promover a alegria e diversão das pessoas. A simpatia deles conquistou tanta gente, de todas as idades, que são unânimes quando o assunto é Carnaval. Liderados por Myller Bueno, eles estavam contratados para três matinês na folia de Três Pontas, cancelada pela Prefeitura 10 dias antes de começar. Atendendo a uma legião de fãs e seguidores das redes sociais, Myller Bueno, Janaina Paiva, Júnior Fior e Gisele Silva resolveram se organizar e fazer uma matinê no fim da tarde desta terça-feira (13).

Eles conseguiram gratuitamente um som e Dj e não precisaram de mais nada para agitar bastante gente que foi até a Avenida Oswaldo Cruz, no trecho do Sambódromo Jaime Abreu. Contaram com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) Leonara Naves para fechar a via e com a presença da Polícia Militar.

Fotos crédito: Equipe Positiva

Os militares apenas observaram a disposição das pessoas. Crianças, jovens, adolescentes, adultos e idosos, a maioria mulheres, dançaram e curtiram cada um a sua maneira. No meio da avenida, sem palco ou trio elétrico, os dançarinos ficaram rodeados e os pequenos queriam cada ficar cada vez mais perto deles. Algumas vezes foi preciso pedir para que eles se afastassem, já que das arquibancadas tinham muita querendo aprender e acompanhar os passos das músicas e não estava conseguindo ver nada. E teve todo tipo de canção – de axé, funk, até as tradicionais marchinhas de Carnaval, que salvaram o último da Festa de Momo que não teve. Mesmo sendo menos de duas horas de apresentação, ainda veio gente de Santana da Vargem, Coqueiral e Boa Esperança.

Foram estes os ritmos que eles levaram às matinês de Boa Esperança, onde eles fizeram sucesso no Carnaval “Até Que a Lua Vire Sol”, realizado a beira lago. Foram cinco anos de sucesso na folia trespontana que ‘pegou’. Estava tudo certo para eles manterem esta tradição. Mas quando a Prefeitura resolveu acatar a recomendação do Ministério Público, o Grupo de Dança só soube do cancelamento através da imprensa e ninguém da Prefeitura os procuraram para dar qualquer tipo de explicação.

A apresentação foi uma homenagem a dois amigos que os acompanhavam sempre e que faleceram vítimas de acidentes automobilísticos em janeiro deste ano – Danielle Vilela de Carvalho de 40 anos, que morreu em um acidente automobilístico na MG 167 em Santana da Vargem e o garotinho Alan Cutier Botrel de 9 anos, que caiu do segundo andar do prédio onde ele morava com a mãe e acabou falecendo na semana passada.

COMPARTILHAR

Comentários