A moçada do Parlamento Jovem de Três Pontas, mostraram tamanha disposição na Plenária Municipal na noite desta quinta-feira (12), que não foi possível concluir todos os sub temas e as votações, na Plenária Municipal.

Reunidos no Plenário Presidente Tancredo Neves, da Câmara de Vereadores, eles demonstraram o resultado das oficinas, pesquisas e várias atividades desenvolvidas para aprofundar em um tema habitual, alvo de estudos da Escola do Legislativo “Professora Maria Rogéria de Mesquita – Dona Rogéria”. Pais, parceiros e colaboradores compareceram. A ex vereadora Valéria Evangelista, primeira presidente e a vereadora Marlene Lima (PDT), também prestigiaram a cerimônia.

Por decisão do presidente, o vereador Maycon Machado (PDT), a Plenária foi encerrada as 21:00 horas e terá prosseguimento na próxima terça-feira. Até agora foi apreciado o primeiro sub tema – “Violência doméstica e familiar”. Sete propostas foram discutidas e duas já priorizadas para a fase regional.

O alto nível da discussão, surpreendeu o presidente da Escola do Legislativo, o vereador e secretário da Mesa Diretora Maycon Machado. Tanto é que a Plenária vai ter sequência na terça-feira (17), as 17:30. O vereador agradeceu o apoio dos coordenadores Dr. Guilherme Ribeiro e Carlos Castro, dos professores que registraram presença, familiares e de forma especial, a ex vereadora Valerinha, o presidente da Câmara Luis Carlos da Silva e os demais vereadores, que entendem a necessidade de construção de uma formação cidadã e política aos jovens.

Valerinha está sempre presente nas atividades e se orgulha de ver o projeto que ela trouxe em 2014, a Escola e o PJ em 2015, colhendo os frutos.

O estudante Jonatas Oliveira tem 17 anos e cursa o ensino médio na Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira. Ele foi um dos coordenadores do sub tema, cujas propostas já foram aprovadas. Na opinião dele, a violência acontece de várias formas. Uma delas é a psicológica, que muitas das vezes destrói a mulher, pior do que a violência física. “Tem muita gente convivendo com isto dentro de casa. Debater isto no PJ, eu vi que existem muitas mulheres precisando de ajuda, sofrendo em família e não dizem nada às pessoas”, alertou o jovem.

Já Ana Clara Reis de 15 anos, aluna do Tancredo Neves, diz que sente falta do assunto ser debatido em vários lugares, principalmente na escola e acha que isto seja um tabu. E não é apenas na escola pública que o tema passa despercebido. Laura Helena estuda na Escola Coração de Jesus. Aos 16 anos vê a discussão surgir, quando algum colega comenta, mas todos deviam se reunir e debater, porque o problema está nas casas do povo brasileiro. “Isto é uma realidade na nossa cidade e o mapa da violência que a Polícia Militar trouxe para nós são assustadores”, avaliou Laura.

Na opinião da integrante do Parlamento, a mudança começa a partir de cada um, e o PJ pode dar a sua contribuição nesta realidade. Os outros três eixos temáticos que serão debatidos e votados na terça-feira são: “Violência doméstica e familiar”, “Violência nos espaços institucionais de poder” e “Violência e assédio sexual”.

No total serão apresentadas 21 proposituras e três sugestões de tema para a edição 2019. Seis delas e um tema serão encaminhados à Plenária Regional que acontecerá no dia 15 de agosto, no Plenário da Câmara Municipal de Três Corações.

Da etapa regional, sairão as sugestões que participarão da Plenária Estadual, que será sediada entre os dias 19 e 21 de setembro, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte. As principais sugestões selecionadas na Plenária Estadual serão entregues à Comissão de Participação Popular da ALMG e poderão ser transformadas em leis.

O Parlamento Jovem é composto de estudantes do ensino médio das escolas estaduais Jacy Junqueira Gazola, Professora Marieta Castro, Presidente Tancredo Neves, Deputado Teodósio Bandeira, Monsenhor João Batista da Silveira e das particulares Coração de Jesus-Objetivo, Colégio Novo Milênio-Cootec, Prósperi, Travessia e Fateps (Unis).

COMPARTILHAR

Comentários