*Decisão é parar de atender no dia 30 de junho, mas direção vai se reunir e propor parcelar os pagamentos atrasados que somam quatro meses

O Sindicato dos Médicos do Estado de Minas Gerais (Sinmed-MG) e a Associação Médica de Três Pontas, divulgaram uma nota informando a paralisação dos serviços prestados pelos médicos do Hospital São Francisco de Assis de Três Pontas, a partir do dia 1º de julho.

No documento assinado em 21 de junho, a classe reconhece a falta dos repasses do Governo do Estado de Minas Gerais, que somam cerca de R$1,7 milhão, a defasagem da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), que penaliza as santas casas filantrópicas, com prejuízos mensais que vem se acumulando ao longo dos anos.

A saída de plantonistas de setores como pediatria, clínica médica, obstetrícia (Maternidade) e UTI devido a constantes atrasos salariais, como a falta de pagamento de fornecedores, provocando a falta de materiais de insumo, medicamentos e suporte para suprimento de setores vitais, como UTI, farmácia e Centro Cirúrgico, complicou a situação que se agrava ao longo dos anos. Atualmente são quatro meses sem receber salários e até então nenhuma proposta havia sido feita.

No dia 04 de abril deste ano, uma reunião com a Promotoria de Justiça, Sindicato dos Médicos, Santa Casa, Associação Médica de Três Pontas e Prefeitura a fim de tratar destes problemas, onde foi definido um prazo de 60 dias para resolver os problemas.

Apesar de respaldo legal do Sindicato de suspender os atendimentos, a partir do dia 20 de junho, em consideração e respeito as autoridades, os médicos estenderam este prazo até 30 de junho, mas parece que o limite chegou ao fim e os atendimentos vão parar.

O atendimento da clínica médica já foi interrompida e desde o dia 07 de junho, o médico que internar qualquer paciente precisa acompanhá-lo até a alta.

Direção já tem proposta para pagar os médicos 

O Provedor da Santa Casa de Misericórdia Michel Renan Simão Castro, se manifestou sobre a decisão dos médicos e disse que vai tentar fazer um acordo nesta semana com os profissionais, evitando assim, que se comprometa o atendimento geral do Hospital São Francisco de Assis.

Ele esclareceu mais uma vez, que não podia dar nenhum posicionamento a estes profissionais, uma vez que tudo depende dos repasses do Estado que não estão acontecendo. Nesta semana, há a possibilidade de entrar dinheiro em caixa. Com isto, o Provedor, irá expor a proposta que tem para quitar os atrasados. A intenção é acertar o primeiro mês já na próxima semana e escalonar o restante, dentro de um prazo já estipulado.

COMPARTILHAR

Comentários