*Problema já dura pelo menos 12 anos. Alguns metros de asfalto resolveria a dificuldade dos moradores

Em junho de 2016, a Equipe Positiva esteve no bairro Santa Marta. A reclamação: a poeira gerada pela passagem de veículos na estrada vicinal que dá acesso a Santana da Vargem pela região da “Formiga”. O pedido: estender o asfalto por cerca de 200 a 500 metros no final da Rua Bonfim em direção a zona rural.

O grande número de veículos que passam pelo local, dificulta a vida de todo mundo e já os moradores mudarem seus hábitos por causa da falta de asfalto.

Marta Helena Rangel morava na primeira casa há cerca de três anos, ao lado da estrada, teve que se mudar e alugar a casa. Poucos meses depois o inquilino também não aguentou e se mudou. Também não é para menos, manter a casa limpa, estender roupas no varal para secar são hábitos diários de toda dona de casa, mas lá não é possível.

Na casa ao lado está Mariele Aparecida Marcelino que convive com este problema há 12 anos. Ela já reclamava no ano passado dos mesmos problemas, mas as promessas que teria sido feita pelo atual prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias durante a campanha a fez acreditar em uma nova realidade para sua família, mas até agora nada.

Na época, o então prefeito Paulo Luis Rabello, fez a imprimação para conter a poeira e com frequência solicitou que o caminhão pipa da Prefeitura jogasse água no começo da estrada para amenizar, mas obra nenhuma foi feita.

Nesta quarta-feira (31), os moradores se reuniram mais uma vez para pedir socorro, porque já não aguentam mais. E agora com o início da colheita do café o movimento da estrada fica ainda maior e os problemas também.

A casa de Marta continha empoeirada e agora vazia, sem condições de ser ocupada. “O que a gente está pedindo não é muito, é direito nosso porque pagamos nossos impostos”.

Já Mariele procurou o prefeito Dr. Luiz Roberto em sua clínica e ele ficou de resolver com a Secretaria de Obras. Como não foi atendida o procurou na Prefeitura, mas foi informada que é preciso agendar. Inconformada desistiu, mas seu filho de três anos está com problema respiratório e para piorar ela não encontra médicos no Posto de Saúde e por isto está tendo que custear o valor das consultas.

Seu José Maria Gomes também irritado com os pedidos em vão que fizeram solicitou que o caminhão pipa molhe um pequeno trecho da estrada que amenizaria a poeira trazida pelos veículos, como estava sendo feito ano passado.

Gleiber Santana (foto) vê na porta de casa o risco eminente de acidentes. Crianças esperam por ali no meio da poeira o ônibus escolar e trabalhadores rurais se arriscam para esperar a condução. Já foram vários pedidos segundo Gleiber, entre eles a construção de uma faixa elevada de pedestres. Na residência dele é preciso manter uma funcionária para limpar a casa o dia inteiro. Deixar o carro limpo na garagem é impossível. É tanto poeira que dá pra escrever na lataria o sentimento que eles tem ao ver que há anos pedem providências e ninguém os ouvem. “Aparece políticos aqui somente em época de Eleição. Dizem que vai resolver, mas depois que entram lá, falam que o problema não é deles”, desabafou Gleiber Santana.

Obra está na programação

O prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), respondeu por meio de sua Assessoria de Imprensa que a obra já foi programada junto a Secretaria de Obras, e a primeira emenda que conseguirem para asfalto irá resolver este problema dos moradores.

COMPARTILHAR

Comentários