A Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo volta suas atenções à organização do VI Festival Nacional da Canção de Três Pontas “Canto Aberto”, integrando a 1ª Semana Artística Canto Aberto de Arte e Cultura. Se os mais jovens não se lembram deste evento, ele foi criado pelo músico e compositor Haroldo de Souza Figueiredo Júnior, que juntamente com o Rotary Clube de Três Pontas, difundiu a cultura da música, da Terra de Milton Nascimento e de Wagner Tiso.

A ideia vem sendo estudada desde 2009, quando o professor do Conservatório de Música Heitor Villa Lobos, Mauro Luis Marques era o secretário de Cultura. Agora, não se tem dúvidas de que Três Pontas pode ter seu próprio festival, com a participação muito maior e de fato dos músicos daqui, com abrangência nacional.

Uma Comissão organizadora foi formada e seu presidente é Alex Tiso. Meio ao som dos instrumentos nas aulas do Conservatório, Mauro Marques, Pierre Alves e Alex falam pela primeira vez sobre os preparativos para o evento que já tem data marcada e local – dias 09, 10 e 11 de agosto na Praça Cônego Victor, a partir das 20:00 horas.

O interessante é que o Festival já começou e está mobilizando todas as escolas, municipais, estaduais e particulares. Ele irá movimentar nas categorias de Fotografia, Poesia, confecção de Maquete, e o Festival de Música Estudantil. Todas as categorias tem um regulamento próprio que já foi enviado para os estabelecimentos educacionais de ensino. Em cada um deles haverá uma prévia e cada um precisa priorizar um tema que não pode sair de Três Pontas. Na categoria de fotografias, os estudantes terão que usar seus equipamentos e não a máquina fotográfica, deve ser o próprio celular. Neste quesito, obrigatoriamente é preciso trabalhar os monumentos, personalidades, ou o próprio cotidiano da cidade. Os concorrentes participarão de mini cursos. Os classificados terão a missão de fotografar o festival. A poesia que traz a proposta de Letras no Barbante, visa difundir essa arte poética, com temas alusivos a arte de nossa cidade, sendo que as obras estarão expostas (penduradas) na tenda do festival. Assim, os frequentadores poderão andar pelo local e apreciar esse movimento livremente. Lembrando que estas poesias serão apresentadas também no palco por seus autores, no dia 09 de agosto, dia da etapa local.

As maquetes deverão ser produzidas dos pontos turísticos e atrativos da cidade. E opção para isto não faltará, já que Três Pontas se destaca como um grande potencial a ser explorado. Elas serão expostas na Praça Cônego Victor durante os três dias.

O Festival Estudantil será no dia 13 de julho, data que culmina com o último dia letivo das escolas no primeiro semestre. O tema tem tudo a ver “Clube da Esquina”. Cada escola trará uma banda que poderá ter no máximo cinco elementos, sendo permitido apenas um professor para entrar competir. O próprio aluno será o intérprete e não será suficiente apenas cantar, é exigência se envolver com a canção e conhecer todo o envolvimento deste movimento que uniu uma geração inesquecível de músicos talentosíssimos.

No dia 09 de agosto, quinta-feira, começa o Festival Canto Aberto, na Praça, com a etapa local, ou seja, somente com músicas de autoresTrespontanos. Além da apresentação dos 10 finalistas do concurso de poesia, os três da banda das escolas do Festival Estudantil e a primeira seleção dos trabalhos feitos por aqueles da fotografia. Destes, sairão os cinco finalistas para a etapa final.

Na sexta-feira dia 10, haverá a apresentação das 20 músicas semifinalistas da etapa nacional e apresentação das finalistas do concurso de maquete. Serão 10 classificadas para a final. Os vencedores de todas as categorias receberão premiação, seja da etapa local ou nacional e nada impede que o artista participe das duas e vença ambas. No dia da final, no sábado, haverá uma roda de conversa dos jurados, a Promotoria de Justiça e os professores das escolas sobre o tema que permeie “música e sociedade”. Foi convidado um corpo de juradosespecializado, formado por profissionais experientes e com competência para avaliar. Sendo eles Professor Pascoale, Juca Novais, Dado Prates, Lisandro Massa, Celso Gomes, Keller Veiga e Luiz Wagner. Quem vai mediar o debate e apresentar todo este movimento cultural também é fera no assunto. Clóvis Guerra é apresentador, pesquisador da música e produtor de grandes festivais, dentre eles o Festival de Pereira Barreto, no interior de São Paulo.

Os vencedores de todas as categorias receberão prêmios em dinheiro e troféus que levarão o nome de várias personalidades de Três Pontas, cujos nomes ainda serão divulgados, mas a organização afirma que será uma homenagem e reconhecimento a quem tanto fez por esta terra tão fértil culturalmente.

Saiba mais

As inscrições já estão abertas desde o dia 11 e irão até 29 de junho. Elas precisam ser feitas presencialmente no Conservatório de Música, no horário de 08:30 as 16:30, ou via Correios devendo ser encaminhada para a Rua Olinto Reis Campos 206, Jardim Brasil, Três Pontas/MG ou ainda por meio digital no endereço [email protected]. Cada participante poderá concorrer com apenas duas composições, individual ou em coautoria.

A inscrição tem um custo de R$15 por música, que deve ser recolhido mediante depósito bancário. Serão R$500 para cada música classificada na primeira etapa e R$200 na segunda. Os vencedores da fase local receberão no 1º, 2º e 3º prêmios respectivamente, R$1,5 mil, R$1 mil e R$500. Na fase nacional, os vencedores levam para casa uma boa grana. Será R$4 mil para o primeiro, R$3 mil para o segundo, o terceiro ganha R$2 mil. Depois o melhor intérprete fatura R$1 mil e a música mais comunicativa também R$1 mil.

O edital completo bem como a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.festivaisdobrasil.net e também no site da Prefeitura Municipal de Três Pontas, acessando www.trespontas.mg.gov.br

Mais informações podem obtidas na Secretaria Municipal de Cultura, através de do telefone 3266-6246, ou pelo whatsapp (35) 99717-5440.

COMPARTILHAR

Comentários