Tentativas de visitantes de entrar com entorpecentes nas celas, reforça  importância de revista minuciosa, o que já foi alvo de manifestações dos familiares

Denis Pereira – A Voz da Notícia

A semana foi marcada pelas tentativas de abastecer com entorpecentes, detentos que estão Presídio de Três Pontas. Mas a vigia feita no prédio pelos agentes penitenciários e a revista nos visitantes impediram.

Na quarta-feira (08), por volta de 8 horas da manhã foram jogados dois tabletes de maconha, um celular com chip e carregador, para dentro do pátio onde os detentos estavam tomando banho de sol. O material estava enrolado em um saco plástico, mas os agentes perceberam.

No dia seguinte, também no período da manhã 5 buchas de maconha foram apreendidas durante procedimento de revista no albergue. Também na quinta-feira (09), um dos presos que trabalham na rua, no projeto de parceria com a Prefeitura foi pego com uma bucha de maconha, durante ação de fiscalização da SUAPI. O detento foi levado para a Delegacia de Polícia Civil e preso em flagrante por porte de drogas.

Já neste sábado (11), uma mulher de 28 anos que foi visitar o marido acabou ficando presa, depois de ser flagrada com dois tabletes de maconha, pesando cerca de 50 gramas, que estavam escondidos na vagina. Valéria Maria Pereira já é conhecida da polícia, tem passagem por homicídio, já esteve presa na Penitenciária de Três Corações e na cadeia de Três Pontas. O marido dela é Júlio César Pereira, o “Alemão” preso ano passado pela Polícia Militar durante patrulhamento. Ele estava com mandado de prisão e agora vai responder também por associação ao tráfico.

drogas-TP-2

 

drogas-TP-4

Em todos os casos a PM registrou boletim de ocorrências.

Segundo a direção do Presídio, a última apreensão de celular dentro das celas foi em novembro de 2011, há 14 meses. Isto se deve ao rigor da equipe de agentes, que cumpre fielmente as normas de segurança no estabelecimento prisional. As tentativas de entrar com drogas no presídio, reforça a importância da revista minuciosa que é feita em todos os visitantes, inclusive nas mulheres. Nem mesmo nossa equipe de reportagem escapa e passa por revista na Sala Dr. Arildo da Cunha Fraga Costa. Ano passado, familiares dos detentos fizeram uma manifestação em frente ao Fórum Dr. Carvalho de Mendonça, entre as reivindicações, estava o rigor nas revistas.

COMPARTILHAR

Comentários