A 140ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Vereadores de Três Pontas realizada nesta segunda-feira (15), está marcada na história e na pequena trajetória do grupo SOS Socorristas Voluntários.

Apesar de pouco tempo atuando, os trespontanos que conquistaram a Cidade, pela dedicação e amor ao próximo, venceram a primeira etapa de uma luta. “Os Anjos da Vida”, assim como são chamados, preenchem todos os requisitos de uma entidade de Utilidade Pública. Por isto, o projeto de iniciativa da Mesa Diretora da Câmara foi aprovado por unanimidade, depois de muitos elogios a atuação do grupo, que uniformizados e em silêncio acompanharam a votação no Plenário Presidente Tancredo Neves.

Foram poucos os parlamentares que não destacaram a importância do voluntariado deles, em prol das vítimas de acidentes de trânsito, neste trabalho que é inédito na região.

O socorro às vitimas precisa de ser feito de forma adequada e isto exige preparo, que os Socorristas tem. Para o Professor Popó (SD), os voluntários devem ficar sempre preocupados a cada vez que uma pessoa é socorrida sem os devidos cuidados, o que pode acarretar sequelas para a vida toda. Depois de elogiar a iniciativa, orientou que a Secretaria Municipal de Saúde faça uma campanha de conscientização às pessoas quanto ao pronto socorrismo.

Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), afirmou que o trabalho deles ainda é mal compreendido por algumas pessoas, mas é em favor do bem comum e da vida.

Para Geraldo Messias (PDT), a missão que eles se dedicam é inquestionável e desafoga o serviço público.

O vereador Chico Botrel (PT), que também é um líder comunitário, sabe muito bem o quanto é difícil encontrar voluntário. “Já é complicado com dia e hora marcados. Pior deve ser no caso de vocês que são chamados a qualquer hora do dia ou da noite”, refletiu Botrel.

Paulinho Vereador foi taxativo e disse que o poder público precisa valorizar pessoas como eles, que cumprem um papel difícil que deveria ser, por exemplo da Prefeitura.

O Título de Utilidade na visão de Valerinha, é o reconhecimento da dedicação e amor ao próximo. Sobre a documentação, esclareceu que eles atendem as exigências e já tem tempo suficiente para receber o aval do Município.

O projeto agora segue para a sanção do prefeito Paulo Luis Rabello (PPS).

Alguns membros do grupo de Socorristas acompanharam a sessão de votação
Alguns membros do grupo de Socorristas acompanharam a sessão de votação

“Os Anjos da Vida”

Com CNPJ e sede informada no projeto de lei, as atividades começaram em agosto de 2014, mas a documentação só ficou pronta no final do mesmo ano.

Liderados pelo servidor do SAMU Frederico Alexandre Ribeiro, a Câmara assegura que o grupo vem apoiando e desenvolvendo várias ações para a defesa, elevação e manutenção da qualidade de vida do ser humano, através de atividades de diversas naturezas que, em sua grande maioria, são realizadas com recursos próprios, adquiridos com dificuldades. Por isto, agora, eles poderão receber recursos e verbas públicas municipais para apoiar as atividades realizadas em benefício à população. O título de utilidade pública ao Grupo “SOS Anjos da Vida Socorristas Voluntários” possibilitará a ampliação de projetos, visando o atendimento de vitimas de acidentes de um modo geral.

A maior dificuldade deles atualmente é custear as despesas já que a ajuda da comunidade e entidades e parceiros já não tem mais chegado. Por isto, a atuação deles tem sido apenas de acordo com a disponibilidade individual de cada um. Eles precisam de veículo adaptado para o transporte dos pacientes e itens do kit de resgate, fundamentais para o primeiro atendimento em qualquer situação.

03
Projeto é assinado pela Mesa Diretora

Homenagem póstuma a servidor da Prefeitura

O servidor público da Prefeitura Sebastião de Oliveira Martins, que faleceu em 07 de agosto de 2013, vai emprestar seu nome a Rua 08 do Residencial Santa Tereza. O projeto de lei foi apresentado pelo vereador Francisco Fabiano Diniz Júnior e incluso na ordem do dia a seu pedido, acatado pelo Plenário.

Sô Tiãozinho como era conhecido, ocupou as funções de gari e vigia da Prefeitura. Quando morreu, estava trabalhando na antiga Yoshioka, onde tinha um enorme amor pelos cães. Foi lá que o Professor Popó e sua esposa Tânia o conheceram, aprenderam a gostar e admirá-lo pela sua dedicação. Deixava de se alimentar para dar comida aos cachorrinhos que lá ficavam no Canil Municipal. Com a presença de vários familiares do homenageado, Popó justificou a indicação e chorou no Plenário. O projeto foi aprovado por unanimidade.

COMPARTILHAR

Comentários