A colheita do café no Sul de Minas deve ser antecipada cerca de um mês em 2016. Isso porque em 2015 voltou a chover num volume considerável em setembro, como era de costume. Mas se por um lado isso é bom, por outro, os períodos de chuva nos últimos meses tiveram um intervalo grande, o que provocou diferença na granação do café.

O produtor João Lincoln Reis Veiga, de Varginha (MG), conta que a chuva deixou os pés de café bonitos, praticamente recuperados dos anos de estiagem, mas que a diferença nos grãos chamou a atenção no local. “Em dezembro é que realmente a gente constatou essas diferenças. Grãos já quase granando e o chumbinho na mesma vara”.

Isso pode ser resultado do grande intervalo entre as floradas. Em 2015, a primeira foi em meados de setembro. Já a segunda só veio cerca de 40 dias depois, no final de outubro, quando voltou a chover na região. Uma terceira florada aconteceu entre novembro e dezembro, época em que choveu até acima da média no Sul de Minas.

Segundo o engenheiro agrônomo Rodrigo Naves, da Fundação Procafé, quando isso acontece, muitos produtores tendem a esperar um pouco mais para começar a colheita, tentando chegar num equilíbrio de maturação. Só que esse ano, mesmo tendo essa espera, a safra deve ser iniciada mais cedo.

“A gente teve precipitações significativas em meados de setembro. E essas precipitações provocaram essa florada antecipada, como era antigamente. O produtor deve aguardar que esses frutos pequenos atinjam um pouco mais essa granação ideal, e também não deixar passar que os frutos mais granados sequem”, explica Naves.

Na fazenda gerenciada pelo Lucas Lopes, em Três Pontas (MG), a colheita costuma começar entre maio e junho. Desta vez, no entanto, o trabalho nos mais de 100 hectares de café deve ser iniciado mais de um mês antes, o que deve apressar as outras fases do processo.”Nós temos que fazer a preparação dos maquinários, das lavouras também, e o mais importante, a contratação dos trabalhadores para tirar esse café assim que amadurecer”, conta.

Para ele, no entanto, a adaptação acaba fazendo parte da rotina. “Até agora está dentro da normalidade. Esperamos que chova também um pouco mais pra frente aí, o que pro café é ideal. E que deixe para ter essa estiagem na colheita”, conclui Lopes.

Fonte: G1 Sul de Minas

COMPARTILHAR

Comentários