*Dinheiro anunciado para as obras ainda não chegou, mas o Centro já está fechado para melhorias

A Prefeitura Municipal de Três Pontas, através da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo deu início à reforma do Centro Cultural Milton Nascimento. Há tempos a comunidade pede reparos no local de referência histórica e cultural da cidade, e que abriga tantos espetáculos.

Para iniciar as mudanças, todas as poltronas foram retiradas e o piso está sendo refeito. Os tacos estão sendo trocados, lixados e posteriormente serão aplicadas camadas de verniz, para dar mais brilho e aumentar a durabilidade da madeira. Muitas poltronas que estavam quebradas e/ou rasgadas, também serão restauradas para dar mais conforto à platéia.

Durante a raspagem dos tacos foram retirados mais de 5 quilos de goma de mascar, do chão e das cadeiras. A secretária de cultura Débora Andrade ficou surpreendida com a quantidade. As pessoas precisam se conscientizar que o Centro Cultural é de todos. O cuidado, então, deve partir de todos, afinal o investimento que está sendo feito aqui agora vem dos impostos e taxas que todos os cidadãos pagam.”

O secretário de Estado de Turismo Mario Henrique ‘Caixa’ anunciou a destinação de R$ 150 mil para a reforma do prédio, mas o dinheiro ainda não chegou. Somente com esta liberação é que será possível dar sequência as obras e a reforma ser completa. A população contará novamente com um espaço estruturado e capacitado para receber as diversas manifestações culturais da cidade.

A história do Centro Cultural

Centro Cultural reforma 2

O prédio foi construído entre os anos de 1969 e 1970 pelo empresário carioca Carlos José, para abrigar o Cine Rio – um cinema com a capacidade total de 471 lugares. O filme de estréia foi Barbarella, um clássico filme franco-italiano de ficção científica dirigido por Roger Vadim e estrelado por Jane Fonda. Posteriormente foi adquirido pelo empresário trespontano Fabiano Alexandrino de Abreu, o local passou a trazer aos para a cidade muitos lançamentos e sucessos de bilheteria em todo o Brasil.

Em 1988, com o então prefeito Carlos Mesquita, o prédio foi adquirido pelo Patrimônio Público e transformado em Centro Cultural de Três Pontas. Para adaptar-se à nova função sofreu algumas alterações físicas, como a construção de um palco e um camarim. Somente no mandato do prefeito Tadeu José de Mendonça, através da Lei nº 1.818/1996, que o local passou a se chamar Centro Cultural Milton Nascimento.

A arquitetura do Centro Cultural é predominantemente funcional e utilitária, onde percebe-se a perfeita adequação do edifício à sua finalidade. Outras características que prevalecem são: o uso de linhas geométricas retas, a simplicidade das formas, a ausência de elementos decorativos e a presença de simetria, tanto na fachada quanto na distribuição dos espaços.

Restaurado em 2006 pelo então prefeito Paulo Luís e o secretário de cultura Haroldo de Sousa Figueiredo Júnior, o local ganhou novo piso, pintura, cortinas eletrônicas e estofado para as poltronas. Na sua história já abrigou espetáculos do Oswaldo Montenegro, Telo Borges e Flávio Venturini, 14Bis, Saulo Laranjeira, homenagens ao Clube da Esquina (com Milton Nascimento e Grupo Ânima), Toninho Horta, Oficinas de Teatro (uma delas com o Grupo Kabana de teatro de rua), A Bela e a Fera (do diretor Kleber Junqueira), entre muitos outros eventos.

Hoje o Centro Cultural abriga os principais eventos culturais da cidade como: Concurso da Rainha da Expocafé, espetáculos teatrais, shows de humor, apresentações musicais, debates e palestras. O local é um símbolo do grande potencial cultural e revela, a cada dia mais novos talentos e artistas trespontanos. (Com informações da Assessoria de Imprensa PMTP)

COMPARTILHAR

Comentários