Um incêndio de grandes proporções em uma máquina de beneficiar café em uma propriedade na zona rural de Três Pontas, na madrugada desta sexta-feira (08), mobilizou várias equipes do Corpo de Bombeiros de Varginha.

O fogo começou por volta das 3:30 e destruiu um barracão inteiro onde o café é beneficiado, na Fazenda Mato Virgem, que fica as margens da MG 167, entre Três Pontas e Varginha, a cerca de 2 quilômetros do perímetro urbano.

De acordo com o proprietário da fazenda Cley Antônio de Figueiredo, um funcionário ouviu os cachorros latirem muito durante a madrugada e quando saiu, já deparou com as chamas muito altas no barracão.

DSC05860

Nele há um conjunto de beneficiamento de café, formado por três secadores, uma máquina com oito moegas, vários outros equipamentos e ferramentas. Pouca coisa restou, apenas um dos secadores que fica do lado de fora. O restante foi tudo sumido pelo fogo. Haviam cerca de 150 sacas de café na máquina que também foram queimadas. O telhado veio abaixo, a rede elétrica foi destruída e a estrutura do imóvel ficou comprometida e será avaliada pela Perícia da Polícia Civil de Varginha, que vai investigar as causas do incêndio.

DSC05898De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros, José Edson Alves da Costa, foram utilizados aproximadamente 12 mil litros de água em seis horas de trabalho. Por volta das 9:30 da manhã a equipe de cinco militares ainda trabalhavam para conter as chamas e fazer o trabalho de rescaldo.

Quando eles chegaram na propriedade, por volta das 4 da manhã, já encontraram o incêndio fora do controle de quem ousasse combater o incêndio, não sendo o Corpo de Bombeiros.

Por se tratar de café, a situação é ainda pior pois ele queima muito rápido e foi preciso usar técnicas para resfriar, remover a carga do produto para debelar o incêndio e evitar que ele se alastre para outras áreas da fazenda.

Segundo o cafeicultor Cley Figueiredo, a última vez que o secador foiDSC05882 usado foi terça-feira por isto, o dono não acredita que ainda existissem sinais de fogo na fornalha usada. Toda a instalação elétrica é nova, foi trocada a menos de um ano e colocada chaves magnéticas, para justamente evitar curto circuito.

A suspeita é de que o incêndio pode ser criminoso, já que um dos portões que dá acesso ao terreiro de café onde está o barracão amanheceu com o cadeado arrombado. Além do barulho dos cães, há também sinais supostamente de um veículo que possa ter passado em uma lavoura de café ao lado, que levantam esta suspeita.

A fazenda tem uma área de 150 hectares e a expectativa é colher cerca de 5 mil sacas de café. Apenas 50% já foi colhida e a destruição causada pelo incêndio vai dificultar a continuidade da colheita. O prejuízo está calculado em mais de R$1 milhão, que terá que ser recuperado aos poucos. A propriedade não tem seguro.

COMPARTILHAR

Comentários