Denis Pereira – A Voz da Notícia

Quando a gente acha que já viu de tudo, bandidos ainda conseguem surpreender. Criminosos estão aproveitando o momento de fragilidade de quem tem parentes internados em hospitais para aplicar golpes por telefone. Casos como este já haviam sido registrados em capitais, mas já chegou ao interior. Em Varginha, a filha de uma paciente que estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Bom Pastor, perdeu R$4,2 mil.

No dia 31 de outubro, a moça estava com a mãe internada e recebeu em casa duas ligações de um homem. Ele se passava por um médico da instituição e pediu a ela que depositasse R$1,5 mil e R$ 1,2 mil para a compra de medicamentos e para pagar o aluguel de uma máquina para a realização de exames. No dia seguinte, uma nova ligação foi feita. O pedido desta vez, era para comprar sugadores. Para isto seria necessário depositar mais R$1,5 mil.

A moça fez todos os depósitos como exigido e só percebeu que havia caído em um golpe quando procurou a direção do hospital com os comprovantes de depósito e soube que não há cobrança em nenhum procedimento realizado para os pacientes. A direção do Hospital Bom Pastor, divulgou uma nova lamentando os fatos, em que pessoas sem escrúpulos aproveitam daquelas pessoas em momento delicado de suas vidas, para extorqui-las.

“A direção do Hospital Bom Pastor vem a publico esclarecer que ninguém está autorizado a falar em nome da instituição, com pacientes ou seus familiares, sem estar devidamente identificado. Esclarece que todos os procedimentos médicos são gratuitos, 100% SUS, não havendo cobrança pelo uso de medicamentos e nem equipamentos necessários para o tratamento dos pacientes internados nos leitos hospitalares, da UTI e até mesmo na Oncologia”, afirma o Hospital em nota divulgada pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Varginha.

COMPARTILHAR

Comentários