VEJA A GALERIA DE IMAGENS Milhares de romeiros vindos de diversas localidades do País, participaram desde a madrugada desta quarta-feira (23), das celebrações dos 110 anos de morte de Padre Victor em Três Pontas. Os devotos passaram nos diversos pontos da Cidade, mas a concentração maior foi na Praça Cônego Victor, onde está a igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda e fica o túmulo com os restos mortais, na feirinha na Avenida Oswaldo Cruz e na Mina que também leva o nome do sacerdote Francisco de Paula Victor. Eles chegaram a cavalo, em veículos particulares, em ônibus e vans com romarias e até de bicicletas.

O ponto de visitação e oração dos trespontanos neste dia, foi a Capela do Padre Victor, na comunidade da Faxina, a 7 km do perímetro urbano. Foi por lá que moradores da Cidade chegaram, quando o dia nem havia clareado. A procissão organizada pela Paróquia Nossa Senhora D’Aparecida sai sempre as 3:30 da madrugada, mas muitos se antecipam. Ao lado da Capela onde o religioso pregava, o Bispo da Diocese da Campanha Dom Diamantino Prata de Carvalho presidiu missa.

Na Cidade, houveram 10 horários de missas, sendo uma na Mina do Padre Victor, preparada pela Paróquia Cristo Redentor, com a Pastoral Afro trespontana. Com altar e todo espaço litúrgico decorado, membros do movimento se vestiram a caráter, embalaram cantos e danças com a percussão afro.

Romeiros esperaram horas na fila para passar alguns segundos em frente ao túmulo com os restos mortais do beato eleito
Romeiros esperaram horas na fila para passar alguns segundos em frente ao túmulo com os restos mortais do beato eleito

Em todos os horários a Matriz ficou lotada. Era gente nos bancos e nas laterais, assentados no chão, encostados nas colunas e nas paredes, cansados sim, mas com coragem e devoção suficientes para pedir as bênçãos e retribuir as graças alcançadas por aquele que será o segundo beato do Sul de Minas. A fila para visitar o túmulo chegou ao quarteirão da Praça Tristão Nogueira. A última missa foi celebrada as 19 horas.

Um enorme exército de voluntários trabalhou durante todo o dia. É gente de tudo quanto é idade, com as mais variadas funções. As barracas que oferecem café, pão com manteiga e carne, para os fiéis não pararam um minuto sequer, em sinal de caridade e solidariedade, assim como foi Padre Victor.

De acordo com a Polícia Militar, cerca de 50 mil pessoas passaram durante todo o dia na festa. O horário de maior movimento é sempre de manhã. De acordo com o comandante da 151ª Companhia de Polícia Militar, nas primeiras horas do dia, a igreja, a praça da Matriz e a avenida estavam cheias. Segundo a Associação Padre Victor mais de 40 cidades registraram as romarias.

Veja a galeria de imagens produzidas pela Equipe Positiva. Clique para ampliá-las

A Beatificação do Venerável Padre Victor, vai acontecer no dia 14 de novembro, no Campo de Aviação em Três Pontas. O horário ainda falta ser confirmado pelo Cardeal Ângelo Amato, representante do Papa Francisco na solenidade, mas a tendência é que seja as 16 horas. São esperadas 100 mil pessoas para a cerimônia.

O milagre que deu o título a Padre Victor foi um pedido feito pela professora Maria Isabel de Figueiredo, que não podia engravidar. Foram dois anos de tratamentos e tentativas em vão, até que ela pediu ajuda a Padre Victor durante a novena em 2009. Um ano depois, a professora conseguiu engravidar de uma menina, contrariando todas as previsões médicas. E agora ela está grávida novamente.

COMPARTILHAR

Comentários