O prefeito de Três Pontas afirma que não vai aceitar caprichos de deputados

O prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello (PPS), comentou o resultado das Eleições de 05 de outubro e disse tudo estava dentro do esperado, conforme apontava as pesquisas realizadas na cidade. Para o gestor, o importante foi que os deputados que realmente ajudaram o Município tiveram votos e foram reeleitos.

Paulo Luis na entrevista, saiu em defesa do seu vice prefeito, Érik dos Reis Roberto (PSDB), quando o assunto foi o apoio dado por ele ao deputado Fábio Cheren (PSD) e não ao parlamentar Mário Henrique Caixa. O prefeito afirma que o parlamentar precisa ter uma conversa com Érik para entender o porque a opção dele a Cheren, coisa que o deputado trespontano deve desconhecer.

O Chefe do Executivo também não deixou de falar sobre a revista que o deputado federal Diego Andrade (PSD-MG), distribuiu durante a campanha política. Com ela em mãos, Paulo Luis afirma que muita coisa que está escrita nela, não é de autoria do parlamentar, já que obras que ele teria conseguido vieram de outros deputados e outros foram alocados em Três Pontas, quando ele nem deputado era.

Prefeito Paulo Luis, qual a avaliação o senhor faz das Eleições?

O resultado das urnas espelhou o que esperávamos, pois realizamos quatro pesquisas contratadas por um instituto em Lavras, de quem ganharia e de quem perderia Acompanhamos toda a sequência das eleições. E foi o que deu, o deputado estadual reeleito Mário Henrique Caixa com 16.500 votos e o deputado federal Diego Andrade com 16.400. A surpresa, foi que os candidatos que efetivamente ajudaram a cidade foram eleitos. Sempre digo, que independentemente de coloração partidária, sempre vão ter seu quinhão e apoio de nossa Administração, do governo estadual e do governo federal aqueles que se disponham, de fato, a ajudar nosso povo. Uma surpresa muito grata, pois ficamos em uma situação muito cômoda, ou seja, temos várias pessoas de quem cobrar benefícios para o povo.

O número de votos dos candidatos apoiados ficou dentro do esperado?

Já sabíamos que os dois candidatos a deputado estadual e federal ganhariam aqui e teriam essa votação. Por outro lado, as pesquisas apontaram vencedor em Três Pontas ao governo do Estado Fernando Pimentel, mas quem ganhou foi Pimenta da Veiga. Para presidente da República, o número de votos bateu com o de nossas pesquisas.

Paulo Paulo

O que o senhor enquanto prefeito espera de Caixa e Diego Andrade?

Espero que o Caixa continue fazendo por Três Pontas o que já faz, canalizando recursos reais como os que vieram destinados à Apae – onde estive com ele levando várias cadeiras de rodas, Vila Vicentina, Pietá, reforma do Ginásio Coberto, compra de automóveis e vans e uma ambulância, Quanto a Diego Andrade, que realize seus sonhos e que ajude verdadeiramente Três Pontas. É obrigação dos eleitos retornar em benefícios ao povo, os votos que tiveram nos municípios e, de Diego salvo engano, o que veio efetivamente do deputado foi para a Santa Casa, para a aquisição de um aparelho de Raio X, repartido com o deputado Gabriel Guimarães, do PT, sendo R$250 mil do deputado federal eleito e, depois, mais R$85 mil, também para a Santa Casa. Para o município Diego chegou a alocar verba para aquisição de duas ambulâncias, mas elas não foram liberadas, por tanto não chegaram. Muitas das ações na revista por ele distribuída em todo o sul de Minas foram realizadas antes de ele ser eleito. Basta entrar no site do Congresso Nacional para verificação do que foi alocado para Três Pontas e a data. Foi alocada, sim, verba para a construção da Praça da Juventude, mas em 3 etapas e só chegou a primeira, mas o projeto não foi aprovado. A obra não cabia no terreno a ela destinado. Cheguei a falar com o deputado dizendo que aquela verba não era para Três Pontas, pois a contrapartida do município, que era de R$50 mil, passou para R$300 mil, inviável para a cidade. É só verificar na Superintendência da Caixa Econômica Federal. Isto já foi dito várias vezes, mas as pessoas gostam de relembrar. Todavia, independentemente de quem estava na Administração, todas as obras iniciadas no município serão concluídas, mas dentro da legalidade, sem vantagens para terceiros. Volto a lembrar que a Prefeitura está de portas abertas a todos, de que qualquer partido for. Por esta razão, o prefeito está sempre nas ruas, no meio do povo, no Pronto Atendimento Municipal, durante o dia e a noite. Somos prefeitos 24 horas por dia, somos pagos para trabalho e vamos exercer nossa função em plenitude. Qualquer cidadão pode e deve ir à Prefeitura comunicar ao gestor quaisquer irregularidades.

O deputado Diego Andrade disse em entrevista que está pronto para ajudar a cidade, independente de quem estiver na Prefeitura. O prefeito espera isto?

Qualquer que seja o deputado que pretenda ajudar o município, o prefeito precisa estar ciente do que vai trazer. Nos próximos dois anos e sete meses de mandato, o prefeito é Paulo Luis Rabello e seu vice é Érik dos Reis Roberto. Somos nós os representantes do povo. Nós é que daremos a destinação necessária aos recursos. O prefeito não é despachante de deputado e não vamos aceitar caprichos de deputados. Tudo aquilo que parlamentares pediram – e que efetivamente contribuíram nós fizemos. Se deixamos de participar de algum evento ou solenidade foi porque não fomos convidados. Todos os deputados que vieram pedir votos a familiares inclusive, nós os recebemos, inclusive no Aeroporto. Só o prefeito conhece as demandas e anseios do povo, em que setores os investimentos são necessários. Fico indignado, quando grupos de pessoas querem mudar o foco das coisas, porque não temos grupos. Para nós não existem grupos de situação o oposição, só a vontade de trabalhar pelo povo. Quem pode ter grupos é o povo, nós não. Por outro lado, quem vota contra os projetos do Executivo está votando contra o povo, não contra o prefeito. Os vereadores tem que se conscientizar disto. No caso das obras inacabadas da outra Administração, toda a Câmara tem ciência do que foi para lá a partir do Executivo, pois todos os vereadores receberam cópias dos projetos. Se alguém não leu, problema dele, o prefeito não tem nada a ver com isto. Voltando a falar da revista distribuída, o asfaltamento de Três Pontas foi conseguido pelo presidente da Cocatrel Francisco Miranda, através do deputado Carlos Melles. Da mesma forma o do Pontalete; investimentos em educação infantil foram feitos com dinheiro do povo, das professoras, como a Escola no Quilombo, foi feita com dinheiro do Fundeb; a Tecnotêxtil já estava aqui antes de o deputado ser eleito e quem doou fui eu, dentro da lei é claro. O Ver Minas, estava direcionado para Três Pontas, mas o deputado levou para Campos Gerais; as praças de esportes foram reformadas com recursos alocados por emendas do deputado Odair Cunha; quanto a 3ª Vara de Justiça, em 2012 esteve aqui o ex presidente do Tribunal Regional Eleitoral, pedindo que providenciássemos um imóvel para a instalação do Cartório Eleitoral e o nosso estimado João Victor criticou dizendo que foi mal aplicado o dinheiro público. A ETA II foi feita no meu governo, tudo com dinheiro do SAAE; as caminhas do hospital vieram através de Dimas Fabiano e Carlos Melles; a Patrol veio do Silas Brasileiro. 667 casas populares, onde elas estão? Deve ser em outro lugar, porque em Três Pontas não tem. As antenas de telefonia móvel no Pontalete e Quilombo foi feita agora e a cópia da licitação está disponível para quem quiser ver. A Atremar foi feita agora com dinheiro da Funasa e o caminhão também foi comprado agora. Não falaram nada da creche no bairro Aeroporto, que vai ter que ser demolida ou o aeroporto fechado.

O deputado estadual Mário Henrique Caixa disse que não sobe em palanque com o vice prefeito Érik, pelo fato dele ter apoiado o deputado Fábio Cheren. O que o senhor achou destas declarações?

Mário Henrique tem o direito de falar o que quiser, pois estamos num País democrático. Mas talvez esteja mal informado. Eu o respeito muito e sei que ele também me respeita. Eu o desculpo, mas acho que ele deveria ter uma conversa franca com o meu vice prefeito, para que tudo seja esclarecido, de quais os motivos que levaram o Érik a apoiar o Cheren, mas ele tem este direito. Volto a afirmar que todas as pessoas que ajudam ou ajudaram Três Pontas na nossa Administração terão retorno. O Mário teve apoio de vereadores sim, mas muitas pessoas dizem que não. Respeito as posições de Caixa e Érik, mas considero que deve haver um diálogo entre os dois para esclarecimentos. De qualquer forma, a relação é a mesma.

COMPARTILHAR

Comentários