O vereador Francisco Fabiano Diniz (SD), vai apresentar um novo projeto de lei que trata das lojas de conveniência em Três Pontas. A polêmica foi criada na semana passada depois que o Professor Popó, teve um projeto assinado por ele aprovado, que altera o Código de Posturas do Município incluindo a conveniência até então inexistente e, determina como horário de funcionamento, de 6:00 da manhã a meia noite, todos os dias, inclusive nos feriados. Eles atualmente estão enquadrados como mini mercados e o horário determinado para fechamento é 18 horas.

O projeto foi aprovado na segunda-feira (24), sem grande discussão por parte dos vereadores, mas a repercussão foi imediata nas redes sociais, contra o horário. Desde a última semana, após a reportagem publicada pela Equipe Positiva, único veículo de comunicação que cobre todas as sessões da Câmara Municipal, não se fala em outra coisa. Os donos das lojas que funcionam a maioria em postos de combustível se mobilizaram.

Popó usou todo o seu tempo no Pequeno Expediente na reunião para tentar explicar aos colegas e a alguns comerciantes que participaram da reunião o que ocorreu com o projeto das conveniências e anunciou que irá apresentar já na próxima semana, um novo projeto com modificação, deixando livre o horário de funcionamento destes estabelecimentos, resolvendo o problema que foi criado. Este sendo aprovado, irá sobrepor o que foi votado e foi encaminhado nesta segunda-feira (01), para a Prefeitura. O prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), tem 15 dias úteis para vetar ou sancionar, porém, recebeu dos comerciantes um abaixo assinado demonstrando que a medida não deve virar lei. O gestor irá analisar o que está sendo pedido para depois tomar qualquer decisão. Se ele não vetar ou não sancionar, o projeto volta para a Câmara e o presidente Sérgio Eugênio Silva, tem que a promulgar.

O vereador disse que foi execrado nas redes sociais e nas ruas, mas que tirou proveito disso, pois as cobranças são válidas e precisam existir, disse Popó na Tribuna, justificando que não quis prejudicar ninguém, muito menos desempregar as pessoas.  Segundo ele, não ficou chateado, mas lembra que a questão dos cães que foi sua bandeira de campanha, precisa ser cobrada ao Poder Executivo, responsável por resolver este problema, que Popó garante estar fazendo sua parte.

Comerciantes donos de lojas de conveniência acompanharam a reunião, junto com o presidente da Associação Comercial Michel Renan e o consultor trabalhista e ex auditor do Ministério do Trabalho Paulo Andrade Azevedo
Comerciantes donos de lojas de conveniência acompanharam a reunião, junto com o presidente da Associação Comercial Michel Renan e o consultor trabalhista e ex auditor do Ministério do Trabalho Paulo Andrade Azevedo
COMPARTILHAR

Comentários