Uma Audiência Pública realizada na Câmara Municipal desta quarta-feira (11), mostrou a convidados o projeto de Apadrinhamento Afetivo, Material e Prestação de Serviços que será implementado na Casa Lar de Três Pontas.

O apadrinhamento é um programa que vem para garantir a construção de referências afetivas e materiais, buscando mudar a realidade das crianças através da participação na sociedade, trazendo uma nova vivência e ajudando a construir uma nova realidade, o que contribui para o desenvolvimento do acolhido.

O projeto contempla três tipos de apadrinhamento, o afetivo, que permite passar os finais de semana e feriados com o afilhado, e tratá-lo como um ente familiar, construindo laços e propiciando vivências, afeto e carinho. No Apadrinhamento Material, o padrinho pode auxiliar no custeio de materiais da vida cotidiana da criança, como roupas, materiais escolares, acessórios, produtos de higiene. Já o Apadrinhamento de Prestação de Serviços, visa custear tratamentos com o uso da profissão, como odontologistas, médicos particulares, entre outras despesas.

A Casa Lar

O Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes em regime de acolhimento institucional foi empreendido no Município através do projeto da Casa Lar, criada em agosto de 2013. O objetivo é amparar, por período provisório, até 10 crianças e adolescentes em regime especial e de urgência, entre 0 e 12 anos, vítimas de abandono, negligência, maus tratos, exploração, abuso, crueldade e opressão.

O serviço deve organizar ambiente próximo de uma rotina familiar, proporcionar vínculo estável entre equipe, as crianças e adolescentes atendidos, além de favorecer o convívio familiar e comunitário dos mesmos, bem como a utilização dos equipamentos e serviços disponíveis na comunidade local, devendo atender a todas as premissas do Estatuto da Criança e do Adolescente, especialmente no que diz respeito ao fortalecimento dos vínculos familiares e sociais, e oferecimento de oportunidades para a (re) inserção na família de origem ou substituta.

A Casa Lar tem como Equipe Técnica 1 Assistente Social, 1 Psicóloga, 1 Coordenadora, 3 Mães Sociais (cuidadoras), 1 Serviços Gerais e 1 Cozinheira. Tem seu funcionamento 24 horas por todos os dias da semana, devido os acolhidos residirem na Casa.

Caso você se interesse em apadrinhar uma criança, existe uma série de critérios exigidos. Procure o CREAS na Rua Barão da Boa Esperança, 1269 ou ligue (35) 3265-7669 para saber mais. (Com informações da Assessoria de Imprensa da PMTP)

COMPARTILHAR

Comentários