Cento de setenta profissionais que vieram dos estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais, concluíram na última quarta-feira (18), da semana passada, a 15ª edição do curso de Capacitação em Manutenção e Operação de Colhedoras Electron.

Durante três dias eles tiveram aulas práticas e teóricas, conheceram no papel nas aulas ministradas no Espaço Café, como é o funcionamento das máquinas produzidas pela TDI Máquinas e na sede da empresa no bairro dos Quatis, conheceram na prática como tudo funciona, desde preservar este patrimônio precioso dos produtores rurais, até a observar os problemas que o maquinário pode apresentar ao longo dos anos e o que fazer em caso de problema, quando o operador está no meio do cafezal. Os operadores passaram no fim da manhã de quarta-feira por uma avaliação escrita e receberam um certificado.

O presidente do grupo TDI, Abdias Eduardo Pontes que cuida da sede da empresa em Araguari, no Triângulo Mineiro, reforçou a importância de cada operador para as propriedades rurais, mas, alertou que todos precisam ter a consciência de que o empenho, dedicação e cuidados de cada um, são fundamentais para a conservação e bom funcionamento das colhedoras produzidas pela TDI. “Preocupamos com o que as nossas máquinas fazem lá na lavoura, mas acima de tudo com a segurança, o conforto e a tranquilidade de quem está operando as colhedoras”, explanou Abdias.

O gerente regional da TDI Adalíndio Eduardo Pontes repetiu um ritual que faz todos os anos. Apresentou a equipe, um a um, falando do trabalho de cada colaborador e colocou o “time” TDI a disposição, seja pessoalmente nas empresas ou por telefone, inclusive através do 0800 que tem ligação gratuita.

Os operadores se despediram com um belo almoço, com direito a churrasco e cerveja gelada. Antes, como é feito todos os anos, a TDI Máquinas faz questão de premiar aqueles que na hora do almoço “trabalham” bastante e recebem o troféu Garfo de Ouro e não faltaram concorrentes na disputa.

COMPARTILHAR

Comentários