Os vereadores do Poder Legislativo, realizaram na noite desta segunda-feira (26), mais uma sessão ordinária, com cinco projetos de lei do Executivo em pauta. A ela foi acrescida ainda, outras três propostas de lei, também oriundas da Prefeitura, todas aprovadas – umas com mais outras com menos discussões.

Todos usaram o laço rosa nos paletós, simbolizando a campanha do Outubro Rosa, de combate ao câncer de mama. No Pequeno Expediente, predominou a escassez de água que voltou a preocupar as autoridades e chamar a atenção dos moradores. Outro tema abordado por mais de um legislador, foi a morte do presidente da Escola de Samba Acadêmicos do Samba, Gilson Cesário, que faleceu no último sábado (24).

O vereador José Henrique Portugal (PMDB), foi o primeiro a registrar pesar pela morte de Gilsão, como era conhecido, destacando sua contribuição em prol das festividades carnavalescas em Três Pontas. Além de pedir o envio de um ofício endereçado à família, Portugal sugeriu a realização de uma cerimônia pós morte na Câmara.

Outro assunto abordado por ele no Pequeno Expediente, foi sobre a necessidade do SAAE realizar uma campanha sobre a conscientização do uso racional de água. Ele tem visto muitas pessoas lavando calçadas e veículos, enquanto a situação está ficando crítica novamente. Basta ver nos locais de captação para constatar que a falta de água é eminente. Na visão de José Henrique, falta um projeto de arborização nestes locais e plantar árvores por toda a Cidade.

Vitor Bárbara (PDT) também fez referência a morte de Gilson Cesário e depois disse sobre a água. Como servidor aposentado do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Baião defendeu que há três anos foi feito um plantio de cerca de 1.2 mil mudas de árvores, na cabeceira do Ribeirão Custodinho, na propriedade do comerciante Odair Barbosa, na Fimibri.

Francisco Botrel Azarias (PT), anunciou a liberação de R$39 mil, recurso de um convênio do Governo de Minas com a Prefeitura através do Pró-Município. Chico Botrel quer uma resposta mais certa das secretarias de Transportes e Obras e Assistência Social, sobre a construção do Conjunto Habitacional Jardim das Esmeraldas. Em 27 de setembro, ele questionou sobre o andamento das obras e prazo de entrega, já que os vereadores estariam sendo muito questionados sobre a data da inauguração das 316 casas, construídas pelo Governo Federal através do Programa Minha Casa Minha Vida. A resposta que ele recebeu, é apenas que a empreiteira, a Construtora Cheren, estava dentro do prazo e que assim que forem concluídas as obras, o Poder Legislativo será informado. Chico Botrel que sempre visita o local, quer dados mais precisos e principalmente, uma data.

Antes de deixar a Tribuna, o petista insinuou que o Conjunto poderia até mudar de nome, já que a denominação de quase ou todas as ruas do novo bairro foram projetos do presidente Luis Carlos da Silva (PPS). Luisinho se defendeu e respondeu que atendeu pedidos que estavam parados na Casa e indicou sim outros nomes, o que qualquer vereador pode fazer.

PPS “bateu cabeça”

Por falar no Presidente, Luisinho e Sérgio Eugênio Silva (PPS), se estranharam na sessão desta semana. Primeiro porque Serjão não se inscreveu no Pequeno Expediente e o Chefe do Legislativo bem que podia dar uma forcinha, em antes de começar comunicar o término do tempo de inscrição. Ele acabou falando porque Valerinha cedeu o seu tempo a ele. Depois, eles tiveram opiniões divergentes no Grande Expediente, sobre o Regimento Interno, quando Serjão quis apenas parabenizar Valerinha que comentava sobre a Escola do Legislativo. Quando Sérgio a interrompeu, Luisinho pensou que ela tivesse terminado e anunciou outro vereador para falar e ela também reclamou.

Sérgio quando era presidente sempre abria exceção, independente de oposição ou situação, e queria agradar todo mundo, mas com Luisinho é diferente. Ele fala em por ordem na Casa, mesmo que isto cause desabores com o presidente do seu partido e líder do prefeito na Câmara, Sérgio Silva. Eles continuam amigos, mas o clima não é o mesmo.

Quem continua afastada é a vereadora Alessandra Sudério, também do PPS. Ela deve voltar a frequentar as reuniões ordinárias na próxima quinta-feira (05).

COMPARTILHAR

Comentários