O evento é no próximo fim de semana, na Praça Cônego Victor com atrações de graça


O país registra um crescimento na realização de feiras literárias. Tem algumas que são realizadas a mais de 50 anos, como as bienais. As feiras de livros e campanhas de incentivo à leitura foram, desde o início, iniciativas das editoras, mas incentivar a leitura, passou a ser preocupação de profissionais da educação não apenas nas capitais, mas também nas cidades do interior.

A leitura melhora o funcionamento do cérebro, estimula a memória e a criatividade. Ela é combustível para a imaginação. Seja por prazer, seja para estudar ou para se informar, a prática da leitura aprimora o vocabulário e dinamiza o raciocínio e a interpretação.

A Prefeitura de Três Pontas planeja desde o ano passado a realização da sua primeira Feira Literária, que depois de muitas reuniões e planejamento foi marcada para o próximo fim de semana, dia 31 de maio e 1º de junho, sexta-feira e sábado, na Praça Cônego Victor.

As tendas, da TP Tendas, que estão sendo utilizadas pela Paróquia Nossa Senhora durante a festa da Padroeira, vão permanecer na Praça da Matriz para o evento. Mesmo assim, em caso de chuva, as atividades serão transferidas para o Ginásio Poliesportivo Delvo Corrêa, no Complexo Randal Diniz, no bairro Padre Vitor.

O secretário municipal de Cultura, Lazer e Turismo, Alex Tiso Chaves, reuniu a Comissão que foi formada para organizar o evento para uma entrevista na Casa da Cultura. Lá, o promotor de eventos da Secretaria, Glauber Reis contou que foi participar da abertura de uma feira em Alfenas, trouxe a notícia que foi abraçada pelos colegas e todos se uniram para transformar a sugestão em um evento, que pudesse envolver toda a comunidade. E é isto que demonstra que irá ocorrer. Desde as crianças de colo até os idosos estarão durante dois dias envolvidos com este evento inédito na cidade.

Comissão organizadora da Feira: Keyre, Glauber, Alex e Luciene, na escada da Casa da Cultura, sede da secretaria

A bibliotecária Luciene Oliveira fez o primeiro esboço do que poderia ser, elaborando principalmente as questões que envolvem a participação do público, foco primordial da feira. As atividades foram criadas, instituições chegaram para serem parceiras e se adaptando ao projeto. Serão simultâneas as atividades lúdicas, brincadeiras, atividades e apresentações artísticas, contação de histórias, teatro, entrega de premiação e disputa de concurso, tudo para que cada pessoa vivencie a literatura da forma que desejar.

Segundo Luciene, diferente de outros eventos culturais, uma feira literária, busca chamar a atenção ao livro nas diversas formas. Um livro, um conto, uma história, podem estar tanto registrado em um livro como também na memória de um contador, como uma letra de música e na memória da cidade. Um exemplo é o historiador Paulo Costa, que conhece Três Pontas como ninguém. Ele tem livros publicados e é hoje a memória viva da cultura do município. Ele será homenageado durante o evento. É claro que os escritores trespontanos não poderiam faltar. Eles foram convidados através de uma chamada pública e terão um espaço para divulgar e vender seus livros durante os dois dias. A inscrição pode ser feita até na véspera, na Biblioteca Pública Celso Brant.

Quando surgiu a ideia da feira literária, se pensou em chamar todo mundo para a praça e deixar que cada pessoa viva uma experiência relacionada com a literatura. A programação que é bastante extensa nos dois dias, foi levada primeiro às escolas, aos alunos, professores e direção. Ela preparou eventos que vão agradar desde os bebês que poderão interagir com as suas mães, até as senhoras do Programa de Saúde Família “Carlos Fagundes” que estão ajudando na confecção da decoração da estrutura. A Biblioteca Pública Municipal Celso Brant será praticamente transferida para a Praça da Matriz. A exposição literária que veio de Belo Horizonte, “Das Contingências do Amor”, que está montada na Biblioteca, estará no evento. São banner’s com poesias de amor que irão ficar a mostra na cidade até 20 de junho.

A abertura da Feira Literária será logo cedinho, as 8:30 da manhã, com a Banda da Apae que além de se apresentar, levará seus alunos para participar de toda a programação. De acordo a turismóloga Keyre Mariano, haverá a participação de duas escolas estaduais. A Cônego José Maria apresentará o Saltimbancos e a Escola Marieta Castro, que vai mostrar o seu Cordel. Terá o Coral Infantil Treinzinho Caipira, do Conservatório de Música, o Octeto Vocal da professora Vivian Peloso e o grupo de teatro Arte e Manha.

A exposição literária “Das Contingências do Amor” está na Biblioteca e vai estar na Feira Literária

O convite foi feito às duas livrarias da cidade na Praça – A Notre Dame e a Revistaria e Livraria Trespontana. Elas foram chamadas, mas estudam a viabilidade de participarem por conta de suas estruturas com pessoal.
No sábado, a Secretaria de Cultura traz um profissional muito antenado no assunto. Aluisio Cavalcante, da ONG Casa da Árvore de Poços de Caldas que vai tratar dos “Desafios da formação de leitores do século XXI”. Ele abordará a literatura através do aparelho celular. “As pessoas costumam dizer que agora, com o celular, as crianças não lêem mais. Mas é o contrário. Elas lêem mais ainda, pois muita gente não tinha e não tem um livro, mas todos tem um celular e podem ler o tempo todo. O professor irá discutir isto com os professores – o uso da tecnologia a favor da leitura de qualidade.

Se tem atividades às crianças tem também para adolescentes e jovens. Acontece em Três Pontas, a final da Batalha Sul Mineira de Rap, que vai receber a visita de vários jovens de 12 municípios da região.

A Vimi Cafeteria aproveitará para entregar os prêmios aos vencedores do seu concurso de poesia, “Café com Poesia”. Houve a participação de gente de todo o Brasil e alguns dos campeões estão em Três Pontas.

A Fateps, do Grupo Unis, trará o Coral Cênico de São Lourenço para uma apresentação muito especial. Os coralistas são lourencianos tem experiências até no exterior e serão atração durante a tarde de sábado. Os alunos do curso de Pedagogia levarão uma Brinquedoteca e realização oficinas.

A 1ª Feira Literária tem o apoio das Secretarias Municipais de Educação e Transportes e Obras.

COMPARTILHAR