A Câmara Municipal realizou sessão ordinária nesta segunda-feira (05), com apenas um projeto de lei na pauta, porém, outros quatros foram inseridos, três a pedido do vice presidente Antônio Carlos de Lima (Antônio do Lázaro – PSD), que continham pedido de votação em caratér de urgência e mais um solicitado pelo próprio presidente Maycon Douglas Vitor Machado (PDT), justificando a necessidade de atender prazo para não perder recurso financeiro.

Por causa da inclusão destes itens, a sessão foi suspensa por 15 minutos, para que eles analisassem os projetos. No próprio Plenário Presidente Tancredo Neves, eles examinaram as propostas e não tiveram dificuldades nenhuma. Foram poucas manifestações e a pauta cumprida, com a aprovação de todos os projetos.

O primeiro trabalho da noite, foi o projeto número 124, que reduz de 9 para 6 o número de membros da sociedade civil organizada que integra o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher de Três Pontas. A justifica é que vai enriquecer a dinâmica de trabalho. A secretária da Mesa Diretora Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT), disse que já esteve presidente do Conselho da Mulher por um período e destacou a sua importância, com muitas ideias e projetos. Maycon Machado por dois anos foi membro e acrescentou que o grupo tem uma visão ampla e é atuante.

Seguindo em ordem cronológica, os projetos inseridos foram votados. O projeto 125, altera a lei 4.643 de 14 de julho deste ano, modificando a data da vigência da aplicação da “noventena” para o primeiro dia útil do mês subsequente aos noventa dias da publicação do projeto, com o intuito de organizar a folha de pagamento da Prefeitura e demais órgãos.

O projeto 127, é uma abertura de crédito adicional no valor de R$955.470,09, adequando o orçamento para a manutenção da Praça do bairro Azarias Campos, que está sendo construída e confecção de grades de bueiros para a Secretaria Municipal de Transportes de Obras; a manutenção dos programas de enfrentamento ao Covid da Secretaria Municipal de Saúde e; manutenção do Programa PASEP e do auxílio
alimentação dos servidores lotados na Secretaria Municipal de Cultura.

Já o projeto 128, são recursos na ordem de R$130 mil, que serão repassados pelo Ministério da Cidadania, para a compra e instalação de academias ao ar livre, bem como a anulação de dotação do orçamento de R$7.587,50 para fazer a contrapartida do município.

O último projeto da pauta, de número 129, é a autorização de recursos que serão repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no montante de R$102.156,00, para a compra de mobiliário escolar. O vereador Érik dos Reis Roberto (PDT), comentou que existem muitos programas no Ministério da Educação que enviam recursos aos municípios, um deles é o Plano de Ações Articuladas (PAR), que visa sanar deficiências e são importantes, porém, as vezes é mal gasto no Brasil inteiro. Quando assumiu a Secretaria de Educação, viu o exemplo disso, com materiais e utensilios comprados com este recurso em grande número que estavam parados na Secretaria.

COELHO diz que teve candidatura impugnada

Um dos assuntos que chamou a atenção no Grande Expediente, foi a fala do vereador Geraldo José Prado (Coelho – PSD). Candidato a reeleição à Câmara Municipal, ele anunciou que teve sua candidatura impugnada. A justificativa da Justiça Eleitoral, é que ele responde a um processo. Coelho não escondeu que em 1997, respondeu a um processo, mas ele não teve a baixa. Aparecer isto agora, causa estranheza, já que ele foi candidato nas Eleições de 2016, com todas as suas certidões apresentadas, foi diplomado, cumpriu seu mandato e agora concorre a reeleição, novamente com sua documentação em dia. Indignado, Coelho já recorreu, mas classifica o ato como uma covardia contra ele. O vereador tem 7 dias para contestar a impugnação.

SÉRGIO Silva diz que teve Covid-19

O vereador Sérgio Eugênio Silva (Cidadania), revelou que ele e toda sua família contrairam a Covid-19 – a esposa, as duas filhas e seu genro. O vereador disse que ficou com as narinas um pouco entupidas e sentiu uma leve dor de cabeça. A família se isolou em casa e não sofreu como muitas pessoas. A maior dificuldade segundo ele, é o psicológico que fica abalado. Sérgio se tratou com Cloroquina, que é questionada por muitas pessoas e mesmo agora, depois de curado, quando conta às pessoas que teve Coronavírus, elas se assustam e tomam até distância.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here