Foto: Arquivo EP

 

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) prorrogou a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, a Campanha Nacional de Multivacinação e a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite em Minas Gerais. O objetivo do estado é aumentar as coberturas vacinais e evitar doenças. Em todas elas, está abaixo da meta de 95% preconizada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

O prazo final, que seria dia 30 outubro, foi prorrogado para 20 de novembro. De acordo com dados apurados com a Secretaria Municipal de Saúde, a imunização atingiu apenas quase 40% do público alvo, no que se refere a imunização contra o sarampo. Devem se imunizar, pessoas de 20 a 49 anos e a preocupação é que o vírus do Sarampo voltou a circular nos últimos anos. Um caso inclusive chegou a ser diagnosticado em junho deste ano, em uma criança de apenas 2 anos de idade. Há pelo menos 20 anos que o sarampo não era diagnosticado na cidade.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite também foi prorrogada com o objetivo de obter altas e homogêneas coberturas vacinais para crianças de um ano a menores de 5 anos de idade. A cobertura vacinal contra a poliomielite em Três Pontas, segundo o gotômetro do Ministério da Saúde está em 74,82%. O público alvo é de 2.796 crianças e 2.092 já vacinaram até agora.

“A vacinação é a única forma de proteger contra a poliomielite e evitar a reintrodução da doença. A vacina é de graça e protege as nossas crianças, por isto, pais e mães devem manter a vacina em dia”, comenta a enfermeira coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Pontas Lara Miranda Silva.

A coordenadora lembra ainda que, a Campanha Nacional de Multivacinação continua com o objetivo de atualizar as cadernetas de vacinação de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade.

Nesta campanha são ofertadas todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente visando diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis, assim como, reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal.

“As vacinas salvam vidas, por isso, é tão importante manter o cartão de vacina atualizado e ele é exigido para fazer a matrícula escolar na rede municipal de ensino”, afirma a coordenadora.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here