Foto: Arquivo EP

O combate aos focos do mosquito aedes Aegypti devem ser reforçados pela população trespontana. O número de notificações de casos suspeitos de Dengue pela Secretaria Municipal de Saúde, até esta quinta-feira (14), era de 35. Destes, 14 foram confirmados na cidade, mas os dados mudam diariamente e pode aumentar. A área de maior incidência é nos bairros Jardim Philadélfia, Ponte Alta e Jardim Paraíso. Tanto é que dos casos 35 notificados, 14 estão nesta região.

De acordo com o médico veterinário do Serviço de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde e secretário de Meio Ambiente, Marcelo de Figueiredo Gomes (foto), partir da notificação de casos suspeitos, o fumacê, tecnicamente chamado de bloqueio de casos suspeitos, é realizado. Ainda segundo Marcelo, o vírus tipo 2 está circulando na cidade e faz com que se tenha novos casos de Dengue. Como já houve um índice alto de infestação do mosquito, como apontou pesquisa realizada pelos agentes na segunda semana de janeiro, há o risco de uma nova epidemia da doença. Os dados apontam que a cada 100 imóveis verificados, quatro estavam com foco do aedes Aegypti. Acima de 3,9% já é considerado fator de risco. O aumento é devido ao fator climático (meses quentes e chuvosos) e como 80% dos criatórios estão nos quintais das residências e 20% em terrenos baldios, os moradores precisam estar vigilantes e ter hábitos diários de verificar se há água parada em casa.

Os proprietários de terrenos baldios, que estão com mato alto, entulho ou lixo, estão sendo notificados para fazerem a limpeza. Das 204 notificações oficiais feitas pela Prefeitura, apenas 59 donos de lotes não fizeram a limpeza e deverão ser multados. O valor da multa é de 5% do valor venal do imóvel.

O serviço de fiscalização será intensificado e faz parte do projeto Cidade Limpa. Os próprios moradores que moram próximos destes locais estão denunciando e pedindo providências do poder público. A reclamação deve ser feita no setor de Protocolo da Prefeitura.

Neste sábado (16), está prevista uma mobilização na Praça Tristão Nogueira, a Praça da Fonte, de 9:00 as 13:00 horas. Os agentes de endemias farão demonstração e esclarecimentos dos trabalhos realizados, além da distribuição de panfletos com orientações básicas sobre os cuidados que as pessoas precisam ter para evitar contrair além da Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela, transmitidas pelo aedes Aegypti.

COMPARTILHAR