O domingo, 28 de junho, ficou marcado na história cultural e patrimonial do município de Três Pontas. É que a Prefeitura, reinaugurou com uma live show da trespontana Isabela Morais, com o espetáculo “De coisas que Aprendi com Elis”, o Centro Cultural Milton Nascimento. O prédio tombado pelo patrimônio histórico cultural, estava fechado desde 2015 e passou por uma ampla reforma, fruto de muito trabalho e de uma união de esforços, que começou ainda na gestão anterior e enfrentou muitos problemas que fizeram a demora ser maior que a esperada. O investimento feito foi em torno de R$400 mil, sendo que grande parte foi através de emendas destinadas pelo deputado estadual Mário Henrique “Caixa” (PV).

A reforma trouxe melhorias estruturais e de adequação às normas de segurança exigidas pelo Corpo de Bombeiros – ao salão principal, saguão, sanitários, colocação da cortina frontal e reforma da traseira, manutenção e adequação do sistema de toda a rede elétrica, iluminação e hidráulica e a troca de portões, com barras de saída. Todo o sistema de som também foi trocado. O Centro Cultural está mais moderno e confortável, para aos artistas e ao público, que a partir de agora, vão poder desfrutar deste palco para seus espetáculos.

A Secretaria de Cultura, Lazer e Turismo responsável pela obra, ainda vai investir em um alarme de combate a incêndio, a colocação sistema de câmeras de monitoramento e vai fazer a readequação dos camarins e secretarias.

O dinheiro aplicado na melhoria do Centro Cultural, é uma das demandas do patrimônio cultural, não é visto como gasto e sim investimento. Através dele, o Município cresce na pontuação e recebe mais recursos do ICMS cultural. A reabertura foi uma ação sugerida pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) como fomento à preservação e difusão do patrimônio cultural da cidade e consequentemente de Minas Gerais.

Cerimônia de inauguração é transmitida on line

Como a pandemia proíbe qualquer tipo de evento com aglomeração, a Prefeitura realizou a transmissão a da cerimônia de reinauguração do espaço, pelas redes sociais, seguindo ainda todos os protocolos determinados pelos órgãos de saúde. Autoridades usando máscara, falaram no hall de entrada e descerraram a placa.

Para o prefeito Marcelo Chaves, devolver o Centro Cultural à população é demonstrar que Três Pontas preserva sua história e que o local precisa ser aproveitado. Satisfeito com todos que se empenharam na obra, mencionou palavras de agradecimento ao deputado Caixa, que tem sido parceiro através da sua gestão. Marcelo também falou da participação da trespontana Isabela Morais, que tem lotado casas de shows em várias partes do Brasil e que surgiu no Conservatório de Música Heitor Villa Lobos de Três Pontas. “Estávamos esperando este dia chegar. Por causa da pandemia está sendo feito de forma diferente, mas estamos valorizando os nossos artistas trespontanos”, ressaltou o prefeito.

O presidente da Câmara vereador Maycon Machado, parabenizou a toda a Administração, em especial a cultura e desejou que toda a população possa desfrutar de um novo Centro Cultural e viver momentos inesquecíveis.

O Chefe do Patrimônio Cultural Ederson Malaquias “Dedê” agradeceu ao prefeito a liberdade que tem para trabalhar e ao Alex Tiso Chaves secretário da pasta, o apoio que sempre dá à sua equipe.

Foto: Assessoria de Comunicação da PMTP

Como classificou como um dia histórico, Alex começou seu discurso agradecendo no passado quem lá trás, acreditou no Centro Cultural, citando o nome do ex-prefeito Carlos Mesquita que foi ousado em dois pontos importantes para a cultura – com a compra deste imóvel para o Centro Cultural e a criação do Conservatório de Música. Alex mencionou agradecimentos, ao prefeito que acreditou nele quando o convidou para ser secretário, a sua equipe que o apóia e a população que entende que valoriza e enxerga o potencial que Três Pontas tem com uma infinidade de músicos e artistas.

Para o deputado Mário “Caixa”, não foi difícil entender a necessidade de investir recursos na reforma do Centro Cultural, pois a cidade é genuinamente musical, que tem seus artistas abençoados por Padre Victor.

Para sua reinauguração falou do show que a Prefeitura contratou. Uma trespontana, guerreira, prata da casa, que lota as casas de shows por onde passa e que surgiu do Conservatório. Por isto, Caixa anunciou a necessidade de continuar investindo na formação de crianças e jovens, na música, na arte, na dança, e em tantos outros seguimentos.

Dos palcos do Brasil para a “sua casa”

O espetáculo “De Coisas que Aprendi com Elis”, foi o primeiro no novo espaço do Centro Cultural. Não poderia ser outro, tamanho o sucesso que faz lá fora, em casas e teatros famosos que ficavam lotados antes da pandemia, atraidos pela versatilidade de uma menina trespontana que se chama Isabela Morais, que se descobriu para a música no Conservatório da sua cidade, a Três Pontas, de Milton Nascimento, o “Bituca”, o apaixonado pela Elis Regina. Um motivo a mais para trazer este show para a live de inauguração. Além dela, a banda conta entre outros, com Clayton Prósperi que a acompanha no piano e nos arranjos, mas canta também com ela e o guitarrista Ismael Tiso, ambos professores do Conservatório. Isabela tem personalidade forte e se impõe no palco assim como a encantadora Elis, aclamada no Brasil e no exterior. A “Isa”, não é uma imitação ou um plágio de “Elis”, ela canta com a alma e entrega o seu coração ao dom que floresce naturalmente. Aliás, conhecer a música de Elis Regina é valorizar o requinte da Música Popular Brasileira (MPB).

Dedicando as canções aos familiares, como a avô Dona Mariana, amigos artistas e fãs, Isabela lembrou dos colegas de profissão, que vivem este tempo de pandemia apenas com as incertezas de quando vão poder trabalhar novamente. Os artistas foram os primeiros a pararem e serão certamente os últimos a voltarem.

Ela terminou o show com toda a estrutura montada para um show presencial, prometendo voltar para tocar na praça, pertinho dos amigos, junto com eles, sentindo o carinho do público e os aplausos que Isabela sentiu falta e chegou inclusive a mencionar durante o espetáculo.

Durante o show foram feitas doações em dinheiro, que será destinado a compra de cestas básicas para famílias carentes já cadastradas na Secretaria de Assistência Social. Até o final da apresentação, a organização já havia contabilizado quase R$22 mil. Todas as ações culturais estão tendo um viés social, a exemplo do Festival Canto Aberto, onde foram arrecadados mais de 550 cobertores.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here