A chuva rápida, porém torrencial que caiu em Três Pontas na última quinta-feira (11), ganhou espaço na Tribuna Livre da Câmara Municipal, na sessão desta segunda-feira (15), durante o Pequeno e o Grande Expediente.

Quem começou o assunto foi o vereador José Henrique Portugal (PMDB), que disse ter acompanhado de perto as consequências provocadas pela enchente na Avendia Oswaldo Cruz e Zé Lagoa, que chegou a invadir casas e estabelecimentos comerciais. Não deixou feridos ou desabrigados, mas muita sujeira. Para o vereador, as pessoas reclamam e com razão e as perspectivas não são boas. Por isto, é preciso enfrentar e encarar o problema, buscar ajuda junto aos deputados mais votados e as autoridades dos altos escalões. E desabafou … “agora é que a gente precisa que eles mostrem a diferença, investir alto em algo que mexe com toda a estrutura da Cidade”, opinou.

O vereador Paulo Vitor da Silva (PP), apenas reafirmou que os moradores e comerciantes são prejudicados e a Administração, precisa mostrar que tem capacidade de envolvimento político, para corrigir este antigo problema.

Combate ao Aedes Aegypti

Os vereadores questionaram a Secretaria Municipal de Saúde, sobre as ações que estão sendo realizadas no combate ao mosquito Aedes Aegypti. O veredor Francisco Botrel Azarias (PT), disse que o governo federal disponibilizou R$500 milhões para combater o mosquito que está transmitindo a Dengue, a Chikungunya e o Zika Virus. Mas, as ações de prevenção em Três Pontas estão acanhadas, mesmo que tenha aumentado para 17 o número de agentes de endemias. É preciso envolver as crianças das escolas. A vereadora Valéria Evangelista (PPS), respondeu que por parte das escolas estaduais, elas já foram orientadas a mobilizar os estudantes e que o movimento deve começar nos próximos dias.

02

Escola e Conselho a todo vapor

O ano está começando na Escola do Legislativo de Três Pontas “Professora Maria Rogéria de Mesquita – Dona Rogéria”. A presidente Valéria Evangelista anunciou que os trabalhos já começaram, mas está precisando de parceiros que possam trabalhar com os alunos. O tema para 2016 é Mobilidade Urbana e levantamentos precisam ser feitos para sugerir as modificar nas leis de Minas Gerais, para melhorar a vida das pessoas de Três Pontas, da região e do Estado.

O que também está reiniciando as atividades é o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher. A primeira reunião do ano é nesta terça-feira (16) e vai discutir e elaborar a agenda de atividades e ações até dezembro.

Escola Edna de Abreu

Alguns vereadores como Valéria Evangelista elogiaram a Administração por causa da nova escola Edna de Abreu, no bairro Santa Edwirges. A obra está em andamento, mas seis salas e os sanitários já começaram a ser utilizados desde o começo do ano letivo.

O vereador Chico Botrel lembrou toda a história da escola, quando ela começou e atribuiu o seu funcionamento até os dias de hoje, a comunidade, liderada pela Associação dos Moradores dos Bairros Santa Edwirges e Santa Margarida (AMSESAM). Ela teria começado ao lado da Igreja Sagrado Coração de Jesus, depois na Avenida Urbano Garcia de Figueiredo Neto. Foi lá que cresceu o número de alunos e a escola se “firmou”. Terminou parabenizando insistentemente a Administração, que entendeu a vontade popular, que também soube se organizar. Em nome dos moradores e da entidade que representa a comunidade, agradeceu reconhecendo a diferença que esta obra vai provocar naquela região.

COMPARTILHAR

1 Comentário

  1. A responsabilidade não pode ficar só nas costas do Executivo, afinal são Vereadores pra quê? falta muito da parte dos vereadores, parece que não sabem correr atrás, não tem autonomia de buscar uma solução e ficam apenas trazendo o assunto sem nenhuma pretenção de resolver, é muito fácil falar, falta atitude pois dinheiro, nem a nossa e nenhuma outra prefeitura tem sobrando, é preciso parcerias pra conseguir viabilizar qualquer tipo de obra extra na nossa cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here