Muita gente imaginou que o evento fosse cancelado na noite desta quarta-feira (27), por conta da chuva, mas não foi. Meia hora antes do horário marcado para começar o esquenta de Carnaval, a chuva deu um intervalo. Tempo suficiente, para os servidores da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo colocar as cadeiras e a sonorização na rua Barão da Boa Esperança para receber o público e confirmar nas redes sociais, que vai ter ‘sim’ o Sarau da Casa da Cultura. Nele também, a eleição da rainha e princesa do CarnavalizaTP 2019.

Obviamente que o tema foi o Carnaval, e em seu repertório, aquelas velhas canções, marchinhas e sambas enredos que marcaram uma geração apaixonada pela Festa de Momo.

A sacada do Casarão, onde está grande parte da história dos trespontanos e atualmente passa por reformas, ganhou grandes máscaras, trazendo saudades dos bailes viraram as noites de Carnaval no Clube Literário Recreativo Trespontano, nas décadas de 80 e 90. Os anos passaram, mas quem viveu poderá viver de novo e aqueles que são mais jovens, vão poder experimentar o quanto a festa era diferente: período de celebrar a vida, compartilhar e fazer novas amizades, que acabavam perdurando a vida toda.

A Banda de Marchinhas do maestro Wander Scalioni
Público se acomodou em frente a Casa da Cultura

O secretário de Cultura Alex Tiso Chaves fez questão de demonstrar a satisfação em ver a iniciativa privada, principalmente os trespontanos que se dedicaram aos longos de vários meses a preparar a festa. Sem eles, o Carnaval não aconteceria, com o apoio da Prefeitura. Por isto, anunciou que ainda existem camisetas para o “Blocão”, que terá uma área reservada na Praça Prefeito Paulo de Paiva Loures, a charmosa Praça do Centenário.

A jornalista Ana Luisa Leite disse que estava feliz porque o evento está sendo falado na cidade e animando as pessoas. Ela também aproveitou para divulgar que o Carnaval de clube está de volta. Em 2019, no espaço Buxarella, de sábado a terça-feira, com os bailes de abertura, das máscaras, das escolas de samba e o de encerramento. Com o Clube Trespontano pronto, já podem se preparar porque 2020, o Carnaval do Clube, no próprio Clube vai arrebentar.

Com direito a confetes e serpetinas, o público recebeu de pé, a Banda de Marchinhas, marca registrada em Três Pontas, que tocou Bandeira Branca, composição de Laércio Alves e Max Nunes. Um sinal de que a organização espera uma festa tranquila, com a participação de toda família e como diz a última frase da primeira canção de abertura “eu peço paz”. Não havia um grande público, mas gente disposta a se divertir. Dezenas de pessoas acompanharam a transmissão ao vivo feita pelas redes sociais da Equipe Positiva. 

Sem muita formalidade ou protocolo, a cerimonialista Marita Duarte chamou a frente, para a primeira fileira os jurados. Eles tiveram a missão de eleger a princesa e a rainha do Carnaval 2019. A ideia era ver a apresentação musical dos músicos trespontanos e no meio do Sarau fazer a eleição, mas os planos tiveram ser alterados por conta do mau tempo. Cantaram Wallace e Alexandre ritmos do axé. Lidy Brito trouxe o samba enredo “Recordar é Viver”, de 2002, da Escola de Samba Serrote, em homenagem ao maestro Jaime Abreu, que lutou durante toda sua vida para ver o Carnaval acontecendo. Elineai e Yasmin, trouxeram a “Flor do Reggae”. Gabriel Mendes mostrou que também canta samba e recordou “Não deixe o samba morrer”.

Por conta da chuva que voltou a cair, a Eleição foi rápida. Todas as cinco candidatas foram anunciadas juntas e dançaram para os jurados, som da Banda de Marchinhas, sendo elas, Graziele Silva Malaquias, Diana Ferreira da Silva, Priscila Basílio, Ingrid das Graças Malaquias e Danúbia Amorim Silva.

Os jurados atentos, avaliaram nas morenas, samba no pé, simpatia e a beleza da mulher trespontana, representadas através delas.

As candidatas mostraram samba no pé na disputa
Graziele Malaquias foi eleita a Princesa do CarnavalizaTP e a faixa foi entregue por Alex Tiso
Diana Ferreira venceu a disputa e foi consagrada com a faixa de Rainha, entregue por Aparecida Tiso

Enquanto o júri fazia a apuração, Danilo Santos, Elvis Henrique e Carla, também tiveram a oportunidade de cantar. A chuva apertou e o público teve que se acomodar dentro da loja, na Casa do Artesanato. Lá, dona Aparecida Tiso entregou a faixa de Rainha para Diana Ferreira da Silva e a de Princesa para Graziele Silva Malaquias foi premiada pelo secretário Alex Tiso.

O Sarau foi apenas uma demonstração de que o público está animado com a festa carnavalesca que começa neste sábado (02), depois de que em 2018, a cidade ficou silenciosa e vazia.

COMPARTILHAR