Armas, munições e droga encontrada na casa do suspeito de matar rapaz no Centro. Foto: Equipe Positiva

 

*Rapaz morreu depois de levar um tiro na cabeça. Crime pode ter sido passional e policias procuram pelo suspeito

Um crime de homicídio registrado na manhã desta quinta-feira (19), mudou a rotina da cidade e foi o principal assunto nos programas policiais das emissoras da região.

A discussão entre dois homens terminou com a morte de um rapaz de 43 anos, alvejado com um tiro na cabeça, em uma via comercial bastante movimentada do Centro. O vendedor de pipocas de 69 anos, identificado como o suspeito está sendo procurado.

De acordo com a PM, ambos estavam discutindo na Praça Cônego Victor e seguiram em direção a Rua Professor Ítalo Tomagnini. Neste local, a discussão piorou. O pipoqueiro estava armado, sacou um revólver e disparou duas vezes. O segundo tiro, atingiu a cabeça de Elenilson de Oliveira Hipólito (foto). O suspeito fugiu saindo andando em direção a Avenida Oswaldo Cruz e não foi mais visto. Elenilson foi socorrido em estado gravíssimo para o Pronto Atendimento Municipal (PAM), por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ele não restitui e morreu logo.

As guarnições policiais da PM e da Polícia Civil, verificaram as câmeras de segurança das lojas próximas ao local do crime. A PM iniciou levantamentos e os investigadores da Delegacia, no local, ouviram testemunhas, que viram a discussão e quando o pipoqueiro disparou. A Polícia Civil fechou a rua e isolou o local, até a realização da Perícia. Em pouco tempo, o acusado foi identificado.

Guarnições da PM foi até a casa dele no bairro Bela Vista. O imóvel estava aberto e através de um vidro transparente, foi possível ver sobre a cama, algumas armas de fogo, coldres, munições e alguns pinos de cocaína, porém o autor não se encontrava no local.

Ao entrar na casa, os policiais encontraram um rifle calibre 22 com a numeração picotada, uma espingarda calibre 28 sem numeração, 39 munições calibre 22, três coldres de arma de fogo e 9 pinos de cocaína. Tudo foi apreendido e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil.

De acordo com o inspetor da Polícia Civil, Gustavo Domingos, o pipoqueiro foi bastante audacioso, por cometer o crime em um horário com lojas abertas, em local de movimento, correndo o risco de atingir inclusive outras pessoas.

 

De acordo com o sub comandante da 151° Companhia de PM Tenente Monteiro Júnior, os dois já se haviam se desentendido anteriormente por causa de uma mulher, que foi esposa do pipoqueiro e agora estava namorando o rapaz que foi morto. Por isto, as investigações da Polícia Civil devem apontar um crime passional. As informações colhidas ao longo do dia, é que o acusado possui mais duas armas que estariam com ele.

Este não é um crime comum de ser registrado em Três Pontas, já que a cidade possui índices baixíssimos de crimes violentos, se comparado com outras localidades da região, onde a incidência é muito maior.

As policias pedem que as pessoas denunciem, se souberem o paradeiro do vendedor de pipocas, que é considerado um foragido da justiça. Não é preciso se identificar e as informações são tratadas em sigilo.

O corpo de Elenilson de Oliveira foi levado para o Instituto Médico Legal de Varginha (IML), depois foi velado e sepultado as 21:00 horas desta quinta-feira.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here