O Três Pontas Atlético Clube (TAC), ganha o adjetivo de time de superação. Isto não é novidade para ninguém, principalmente para que acompanha e torce para o rubro negro, independente da competição que participa.

A noite desta quinta-feira (11), foi reservada para a emoção e o coração dos trespontanos foi a mil, do início ao fim. TAC e Boa Esperança se enfrentaram em busca de uma vaga para as semifinais da Taça EPTV de Futsal. Os donos da casa precisavam vencer e, os visitantes que voltaram depois que São Sebastião foi desclassificada por escalar jogadores irregulares, cresceram e retornaram com moral. Torcida divida. A do Leão do Sul de Minas fazia muito mais barulho, mas quando a jogava era do clube esperancense, os visitantes não deixavam por menos.

Torcedores empurraram o time à classificação
Torcedores empurraram o time à classificação

O jogo foi disputado do começo ao fim e se o TAC venceu, ganhou o respeito e admiração daqueles que imaginavam que a história fosse diferente, por conta de um gol marcado por Boa Esperança logo a um minuto e meio do jogo, com Rafael.

Os goleiros Rudinho e Bruno tiveram papel fundamental, fizeram defesas que levava a torcida a loucura. O esperancense então vibrava, a cada vez que a bola chegava nele. E mesmo tomando o gol , a torcida parecia um jogador em quadra. André Luis promoveu várias mudanças. Mas o primeiro tempo terminou, Boa Esperança 1 a 0.

No segundo tempo, o TAC começou atacando, buscava sair do prejuízo. Passou poucos minutos para Rudinho se adiantar e até atacar e os torcedores começaram a pressionar por um gol. Adriano, o treinador de Boa Esperança, começou a reclamar da pressão vinda da arquibancada. Aos 9 minutos o placar mudou a favor do TAC. De pênalti, Kojak deixou tudo igual, 1 a 1. O gol mudou a história do jogo, apesar do empate ainda garantir a classificação a Boa Esperança.

Era tudo ou nada. Mas a noite era mesmo daqueles que tem se dedicado a chegar na final da Taça EPTV e sonham como nunca com o título. O técnico André Luis da Silva ao lado do presidente Ney Antônio Mendonça, que não desgrudava do cronômetro, lançaram o goleiro linha. Saiu Rudinho e veio o experiente André Rabelo, faltando 4 minutos para terminar a partida. Faltando 2 minutos, aos exatos 18 do segundo tempo, ouvindo os gritos das arquibancadas de “vai morrer” numa cobrança de falta, André Rabelo surgiu lá de trás para decretar a vitória e a classificação do TAC, 2 a 1.

Depois, Rudinho voltou e foi só administrar o nervosismo e conter a euforia até o apito final da arbitragem. O TAC está classificado para as semifinais da 26ª edição da Taça EPTV.

Apesar da virada do TAC, é preciso destacar a luta do adversário e como isto valorizou a vitória dos meninos de Três Pontas. Os atletas esperancenses são do Clube Esportivo de Boa Esperança (CEBE), são filhos de jogadores que há anos jogaram representando a Cidade. Eles nunca pararam, mas ficaram ausentes da Taça EPTV há pelo menos quatro anos e avaliam que chegaram longe em 2015.

Atletas comemoram vitória e classificação do TAC às semifinais

TAC 2 x 1 BOA ESPERANÇA

TAC – Rudinho, André Rabelo, Rafa da Cohab, Baiano e Alessandro. Técnico André Luis. Ainda jogaram Tell, Waguinho, Leozinho, Kojak e Rafinha.

BOA ESPERANÇA – Bruno, Rainer, Rafael, João Correia e Hugo. Técnico Adriano. Jogaram também Cristiano, Francisco, Jorge, Luis Marcelo, Mateus e Otávio.

ARBITRAGEM – Ivanildo Oliveira e Lucas Barbosa. Mesário Rodrigo Alves Rocha.

COMPARTILHAR

Comentários