Veja a galeria de fotos – clique para ampliar 

Os trespontanos participaram nesta segunda-feira (12), das comemorações do Dia da Padroeira do Brasil e da padroeira da segunda paróquia de Três Pontas.

Na Matriz de Nossa Senhora Aparecida, os católicos participaram de missas, carreata e procissão, na Igreja que está sendo concluida a obra de ampliação da famosa “igrejinha”, iniciada pelo ex-paróco padre Vânis Vieira da Cunha. Quando padre André Rodrigues Vilas Boas voltou para Três Pontas, as transformações já haviam começado. Coube a ele seguir o

Pároco Pe. André seguiu todo o trajeto da carreata por bairros da Cidade
Pároco Pe. André seguiu todo o trajeto da carreata por bairros da Cidade

planejado e poucos dias antes do início da novena a obra foi concluída. O interior do Templo está muito mais bonito. A novena foi realizada em três horários, as 5 horas da manhã, as 15 horas e as 19 horas, todas elas com uma grande presença de trespontanos e com a participação de escolas, instituições, pastorais e movimentos ligados a Paróquia. Padres da Diocese da Campanha e de outras regiões colaboraram nas celebrações.

No feriado nacional desta segunda-feira, o pároco padre André celebrou a missa das 10 horas, junto com o Frei Wilson. Durante a comunhão, as crianças receberam uma lembrancinha da paróquia. Balas estavam em uma latinha personalizada com a imagem da Padroeira da Paróquia, Nossa Senhora Aparecida. Meninos e meninas, maiores ou aqueles no colo dos pais, fizeram fila e com o sinal da cruz na testa, cada um deles recebeu das mãos do pároco o presente.

Nova Matriz ficou lotada nas comemorações da Padroeira do Brasil e da Paróquia
Nova Matriz ficou lotada nas comemorações da Padroeira do Brasil e da Paróquia
Depois do sinal da cruz, as crianças receberam uma lembrança da Paróquia das mãos de padre André
Depois do sinal da cruz, as crianças receberam uma lembrança da Paróquia das mãos de padre André

Em sinal de fé e devoção, fiéis concluíram uma das celebrações com uma carreata que percorreu ruas dos bairros Padre Victor, Santa Inês, Santa Margarida e a Avenida Ipiranga. O trajeto não demorou nem uma hora. A frente seguia a imagem e um veículo aberto decorado com flores. Em vários pontos, a emoção tomou conta de várias famílias que choraram. Teve que carregou junto aos automóveis a bandeira do Brasil. Alguns preferiram seguir de moto e outros até de bikes.

Na volta, já na Praça da Aparecida, eles passavam em frente a imagem, faziam o sinal da cruz e alguns tiveram o privilégio de levar para casa as rosas que estavam ao pé da santa. Padre André ficou firme lá junto a imagem durante todo o tempo, até que o último veículo passasse. Por isto, enfrentou um sol escaldante.

COMPARTILHAR

Comentários