A Diocese da Campanha está em festa. A comemoração é principalmente nos municípios de Campanha, onde Padre Victor nasceu e em Três Pontas, onde deixou seu legado quando paroquiou a Igreja Nossa Senhora D’Ajuda por 53 anos.

O processo de beatificação do candidato a Santo venceu uma etapa importante nesta manhã de terça-feira (02), quando a Comissão dos Cardeais e Bispos em uma reunião Plenária, no Vaticano em Roma, deu parecer favorável a um milagre atribuído a intercessão do Venerável Padre Victor. Isto acontece, logo após a aprovação da Comissão de Teólogos. Agora, toda a documentação será encaminhada ao Papa Francisco para assinar o Decreto que dá o título ao sacerdote de beato, faltando apenas agendar a cerimônia. A informação chegou por telefone e foi dada pelo postulador da Causa Dr. Paolo Vilotta.

Trespontano foram fazer suas orações em frente ao túmulo do Venerável na Matriz
Trespontanos foram fazer suas orações em frente ao túmulo do Venerável na Matriz

A notícia está sendo comemorada em toda a região. Assim, que ouviu o soar dos sinos fiéis e devotos foram para a igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda onde estão depositados os restos mortais do Venerável. Muita gente se emocionou diante de seu túmulo onde fizeram orações. Toda a equipe da Associação Padre Victor se reuniu no Memorial, onde são coordenados os trabalhos para receber a imprensa, trespontanos e visitantes.

De acordo com o bispo da Diocese da Campanha Dom Diamantino Prata de Carvalho, a expectativa é que Padre Victor, seja levado a honra dos altares ainda este ano, dependendo apenas do Papa Francisco. De qualquer forma, a Diocese já formou uma comissão que já se reúne regularmente para tratar de organizar a solenidade de beatificação. Mas ressaltou que isto envolve também a Prefeitura e o Governo do Estado na questão da estrutura, como aconteceu com Nhá Chica em Baependi. A preparação vai agora, muito além das maneiras dos moradores em organizar barracas de atendimento aos romeiros nas rodovias de acesso ao Município, ou servir água, café e pão na Praça Cônego Victor, já que uma vez beatificado o movimento deverá ser constante e muito maior.

Assinado o documento, cabe a Diocese marcar o rito. A expectativa, se tudo acontecer rápido, é que em novembro, nas comemorações da Semana da Consciência, o Brasil possa estar celebrando a beatificação do primeiro padre negro beatificado. Mesmo em silêncio, a Associação Padre Victor já prepara uma estátua que está sendo esculpida em São João Del Rey para a beatificação. Uma outra urna também está sendo desenvolvida para abrigar os restos mortais de Padre Victor.

A notícia já era esperada com fervor desde o ano passado, confirma a integrante da diretoria da Associação Padre Victor Denise Barbosa Reis Abreu. Para ela, é preciso continuar rezando, contribuindo e ajudando no registro de milagres, pois o objetivo ainda não foi todo alcançado. Após a beatificação, é preciso um novo processo para concluir e constatar a santidade de Padre Victor. Para chegar até aqui, muitos milagres registrados ao longo destes anos, foram enviados para a Causa dos Santos, por isto, não se sabe quem foi a pessoa que teria recebido o milagre e o que foi fundamental para atender aos requisitos das Comissões.

Os padres receberam com júbilo a notícia que é esperada desde o ano passado. Segundo vigário paroquial D’Ajuda padre Guilherme da Costa Vilela Gouvea, esta etapa vencida, demorada e muito difícil. As três comissões formadas por médicos, teólogos e cardeais são criteriosas e passar por todas elas é algo divino.

Por conta da aprovação do milagre por esta última Comissão, a missa que geralmente é celebrada na igreja da Sagrada Face no bairro Botafogo foi transferida para a Matriz D’Ajuda, as 19 horas.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

PADRE VICTOR

Francisco de Paula Victor nasceu em Campanha (MG), no dia 12 de abril de 1827, e foi batizado em 20 de abril do mesmo ano pelo padre Antônio Manoel Teixeira. Era filho da escrava Lourença Maria de Jesus.

Dom Antônio Ferreira Viçoso, bispo de Mariana (MG), visitou Campanha em 1848. Victor, então alfaiate, procurou dom Viçoso e disse que tinha o desejo de ser padre. Com isso, ele entrou para o seminário de Mariana, onde foi aceito em 05 de junho de 1849. Mudou-se para Três Pontas em 14 de junho de 1852, como vigário encomendado e paroquiou na cidade por 53 anos. Era conhecido por sempre visitar doentes, amparar os inválidos e atender a população em suas necessidades. Além disso, fundou a escola “Sagrada Família”, hoje Escola Municipal Cônego Vitor.

Padre Victor faleceu no dia 23 de setembro de 1905. Após sua morte, ele ficou insepulto por três dias e o corpo do padre exalava perfume, segundo relatam. O padre foi enterrado na Igreja Matriz da cidade, que foi construída por ele.

O processo de beatificação e canonização de Padre Victor começou em 1993.  Desde então, muitas pessoas declaram que o padre intercedeu para que alcançassem seus pedidos e graças. O Papa Bento XVI já declarou Padre Victor Venerável. A organização da beatificação do religioso reuniu inúmeras graças encaminhadas para serem avaliadas em Roma pelo postulador da causa, Paollo Vilota. A causa já passou pelas Comissões médica, teóloga e cardeal e agora aguarda a assinatura do Decreto que vai torná-lo Beato.

COMPARTILHAR

Comentários