As equipes de policiais militares se desdobraram desde a madrugada desta quarta-feira (01), e conseguiram apreender quatro menores de 15, 16 e 17 anos, suspeitos de terem incendiado o prédio da Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira, o maior e mais antigo estabelecimento educacional que fica no Centro de Três Pontas e que tem 64 anos de funcionamento.

Assim que a Polícia Militar teve acesso as imagens do circuito interno de segurança, imediatamente começou a caça aos suspeitos e não demorou para todos eles serem apresentados no Quartel.

IMG-20160601-WA0001De acordo com o comandante da 151ª Companhia de Polícia Militar Tenente Bruno Neves Tavares(foto), durante a madrugada, antes do crime, uma viatura já havia feito uma abordagem aos quatro na área central. Ao assistirem as imagens, os militares começaram a traçar um perfil criminoso de quem seriam os possíveis autores. Chamou a atenção é que eles usavam as mesmas roupas da hora abordagem e no momento do crime. Os PM’s começaram assim a levantar os suspeitas.

Eles foram encontrados em casa. Depois que o primeiro foi apreendido, os outros em seguida foram detidos. Um tênis usado por um deles, foi encontrado ainda com manchas de tinta, que foi espalhada pelo refeitório.

No Quartel, alguns disseram que entraram no prédio somente para ‘zoar’. Outros chegarem a dizer que seria em retaliação à direção da Escola por não terem conseguido uma vaga para estudarem, o que a polícia não acredita, pois todos aqueles que querem de fato encontram vagas disponíveis.

Ao verificar as imagens do circuito de segurança, os menores foram identificados
Ao verificar as imagens do circuito de segurança, os menores foram identificados

Alguns computadores, roupas, uniformes, ferramentas e bolas foram encontrados em um dos jardins próximo dos portões de entrada dos funcionários e professores. Apesar disso, Tenente Bruno não acredita que eles tenham planejado um furto. “Os menores hoje são muito inconsequentes, não tem uma definição ou um objetivo do que vão fazer. Eles vão para ‘zoar’, como um deles mesmo confessou e acabam depredando e destruindo. Se o objetivo fosse o furto, eles não teriam ateado fogo”, analisa.

Ainda de acordo com a polícia, todos eles estão sempre envolvidos em confusão, causam problemas nas imediações da Escola e são conhecidos no meio policial, por uso e tráfico de drogas, furtos e roubos, resultado da falta de uma estrutura familiar e um controle social. O pior é que a mãe de um deles é trabalha na escola e foi cedinho ajudar os outros funcionários, sem saber do envolvimento do filho.

Até a publicação desta reportagem, a PM tentava junto a outros órgãos como o Ministério Público e a direção do Presídio a internação dos quatro.

Corredor que dá acesso a salas de aula e a secretaria incendiada

O Tenente não deixou de enfatizar a resposta rápida dada a este caso de enorme repercussão, graças a dedicação de sua tropa. Ainda segundo ele, a busca pelo resultado é independente se está apenas enxugando gelo. O comandante se refere a quantidade de menores apreendidos que são soltos diariamente, mesmo aqueles que cometeram crimes graves, como homicídio, tentativa de homicídio e latrocínio. “Estou em Três Pontas há seis anos e pode contar a quantidade de internação de menores infratores que ocorreram”, recorda.

Muitos dos militares viraram o turno e ao invés de irem embora bem cedo, na hora do almoço ainda estavam na rua. “Tenho que parabenizar a nossa tropa que é muito aguerrida pela sua atuação pró ativa. Ocorrências como estas mexem com o militar além do profissional, que lá estudou, se formou, tem ou tiveram filhos e parentes que aprenderam nesta escola”, relatou o comandante Bruno Neves.

A direção da Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira está convocando a todos os alunos para participar da celebração da missa nesta quarta-feira (01), na Matriz Nossa Senhora D’Ajuda. Eles devem comparecer usando blusa branca. Nesta quinta-feira será feito também uma Passeata pela Paz, com saída da porta da escola. Os alunos devem vestir o uniforme e levar cartazes em demonstração à indignação com o atentado que a escola sofreu.

No hall de entrada as chamas consumiram quase tudo e parte da estrutura do teto caiu
No hall de entrada as chamas consumiram quase tudo e parte da estrutura do teto caiu

O INCÊNDIO CRIMINOSO

O fogo começou por volta das 3:00 e levou mais de 5 horas para ser combatido. Um caminhão pipa do SAAE iniciou o trabalho de conter as chamas. As equipes do Corpo de Bombeiros de Varginha, composta por 89 militares gastaram cerca de 7 mil litros de água para combater o incêndio.

As aulas estão suspensas até a próxima sexta-feira (03). De acordo com a Superintendência Regional de Ensino de Varginha (SRE), os estudantes devem ser transferidos até que o prédio esteja em condições de voltar a atender.

A Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira atende a cerca de 1,8 mil alunos do ensino fundamental e médio em três turnos. O prédio já sofreu depredações e furtos, mas nada se comparado a este incêndio de grandes proporções. O caso provocou revolta em toda a cidade, repercussão imediata nas redes sociais e o apoio a direção da Escola Teodósio Bandeira.

Comentários