A imaginação pode até remeter a alegria que está vivendo a professora Maria Isabel de Figueiredo de 37 anos. Porém, só mesmo ela e seu marido, o cabeleireiro José Maurício Silvério sabem o que é receber um milagre. Muitos afirmam já ter recebido, porém, este foi tema de estudos e levantamentos pelo Vaticano, que comprovou que o Venerável Padre Victor intercedeu de fato a favor da mulher que sonhava ter um filho e de forma natural isto seria impossível.

Isabel com a pequena Sofia
Isabel com a pequena Sofia

O milagre aconteceu e Isabel tem hoje a menina Sofia de 5 anos de idade. No início da tarde deste sábado (06), quando soube da assinatura do Decreto Papal de Beatificação, ela correu para o Memorial Padre Victor e lá soube que foi o fato extraordinário que aconteceu com ela que foi incluído no processo de beatificação e que vai levar o Anjo Tutelar a honra dos altares, com o reconhecimento da Igreja ao título de Beato. Naquela hora, ela revelou à imprensa a sua história que marca profundamente a história da Igreja.

A professora fez durante dois anos tratamentos para engravidar, mas sem sucesso. Ela teve uma gravidez tubária e perdeu uma das trompas e a outra trompa foi comprovado que era totalmente obstruída. Vários médicos constataram que somente a fertilização in vitro era o caminho para Isabel ter um filho, já que as trompas são o caminho para que o óvulo chegue ao útero. Ela não quis e recorreu ao Padre para realizar o sonho de ser mãe.

O pedido da graça foi feito durante a Novena de 2009. Recordando bem do dia, foi durante uma Missa campal por conta da epidemia da gripe H1N1 que ela suplicou a ajuda, em frente à Herma e depois escreveu o pedido que foi queimado. Ela acredita muito e tem fé, quando o padre fala que a fumaça dos pedidos seria levada até o céu.

Movimento no Memorial. Dom Diamantino conversa com os padres Ednaldo e André e a mãe Isabel e membros da Associação Padre Victor
Movimento no Memorial. Dom Diamantino conversa com os padres Ednaldo e André e a mãe Isabel e membros da Associação Padre Victor

Em agosto de 2010 a professora descobriu que estava grávida, sem fazer mais nenhum tratamento médico. “A primeira coisa que passou pela minha cabeça foi que eu tinha recebido um milagre. Agradeci a Padre Victor e falei a Deus o que eu poderia fazer para agradecer essa graça tão grande de ter conseguido engravidar sem tratamento depois de ter passado por tantas dificuldades em tratamentos sem sucesso”. Foi ai que ela relatou a sua graça à Associação Padre Victor e quem sabe ajudar, junto a todos outros no processo de beatificação.

Quando desconfiou que estava grávida, a obstetra Márcia Andrea pediu o exame de sangue e mesmo com o resultado positivo, solicitou uma ultrassonografia. A médica explicou que somente este exame poderia confirmar uma gravidez que ela não podia ter de forma natural. Quando o resultado chegou e confirmou que Isabel estava mesmo grávida, a própria Doutora falou que ela havia recebido um milagre, já que a medicina não poderia explicar como ela teria engravidado.

Assim que relatou a graça no Memorial Padre Victor, outros médicos foram consultados, que também reafirmaram a impossibilidade da gravidez natural. Depois de documentos enviados para Roma, o responsável pela Causa dos Santos em Roma veio em Três Pontas, para que fosse feito um tribunal, várias pessoas foram entrevistadas, entre elas, pessoas que pudessem confirmar a fé da nova mãe no Venerável. Até as pessoas com quem Maria Isabel tinha comentado o pedido da graça de engravidar foram ouvidas.

E contrariando as previsões médicas, mais uma vez, ela espera agora por outra filha. Maria Isabel está grávida novamente de cinco meses. Assim, a devota tem a certeza de ter sido realmente curada.

Quando perguntamos como estava se sentindo, ao lado da filha, ela respondeu que nunca mais vai esquecer do dia 06 de junho, mas que a constatação das virtudes e da santidade de Padre Victor já eram conhecidas. “Estou me sentindo muito feliz e emocionada por esse reconhecimento. Eu já acreditava que a minha gravidez era um milagre, mas ter agora a confirmação aprovada pelo Vaticano é uma felicidade muito grande. É uma felicidade muito grande poder proporcionar essa alegria para todos de Três Pontas e para tantos devotos de outras cidades também”.

COMPARTILHAR

Comentários