* Decreto deve ser assinado ainda esta ano. Sendo assim, cerimônia seria realizada em novembro

Existem datas que ficam para sempre marcadas na vida da gente, na caminhada da Igreja e de seu povo. Em Três Pontas, uma delas foi esta terça-feira dia 02 de junho de 2015, quando a Cidade comemora o parecer favorável dado pela Comissão de Cardeais e Bispos a um milagre atribuído a intercessão do Venerável Padre Victor.

Desde a tarde, quando os sinos da Matriz Nossa Senhora D’Ajuda ressoaram e o Hino de Padre Victor foi executado, o Templo onde está os restos mortais do Anjo Tutelar, foi visitado, em um número muito maior do que o acostumado. Agradecimentos e orações se transformaram em lágrimas. No céu da tarde nublada e fria, os fogos de artifícios faziam barulho e anunciavam que uma etapa importante estava vencida e que resta seguir em oração, pedindo que o Papa Francisco assine o Decreto que dá o título de Beato da Igreja Católica. Depois o processo continua para a santificação.

A cura inexplicável já havia sido reconhecida anteriormente por médicos do Vaticano e por uma comissão de teólogos, da Causa dos Santos.

Oração do Venerável foi feita na celebração solene em frente ao túmulo onde estão os restos mortais
Oração do Venerável foi feita na celebração solene em frente ao túmulo onde estão os restos mortais

“Por ocasião da beatificação de Nhá Chica, o Papa Bento XVI assinou em 2012, o Decreto na solenidade de São Pedro e São Paulo. Cada Papa tem um modo de trabalhar. O Papa Francisco se seguir esta maneira, poderá assinar o Decreto nesta mesma solenidade que este ano será em 28 de junho, como também pode assinar amanhã. Ele dando o seu veredito, a beatificação deverá ser provavelmente em novembro, nas comemorações da Consciência Negra”, anunciou o pároco padre Ednaldo Barbosa, ao lado dos vigários paroquiais padres Mateus Arantes e Guilherme da Costa Vilela Gouvea, na missa solene de Ação de Graças realizada na Matriz d’Ajuda.

Durante a celebração que levou dezenas de fiéis à Igreja de Padre Victor, padre Ednaldo explicou que depois da assinatura, o bispo da Diocese Dom Diamantino Prata de Carvalho, vai apontar as datas que ele deseja, enviar ao Vaticano que confirma ou não. Qualquer informação que seja comentada na Cidade que não seja isto, não é verídica, garante. O padre fez questão de noticiar como são os procedimentos, para que os fiéis saibam, se unam e somem forças para que tudo aconteça bem, a altura do que a vida do Venerável representa para todos e do que é a sua intercessão nos dias de hoje.

O reconhecimento acabou com a espera de ter um milagre para a beatificação. Apesar da sua fama de santidade, a Igreja precisava comprovar com inúmeros documentos e com a análise das Comissões da Causa dos Santos.

De acordo com padre Ednaldo, a Paróquia e Associação já pensavam através de uma Comissão que foi formada, em local para a beatificação e a gigantesca estrutura que vai unir ainda Prefeitura e Governo do Estado. Mas, com esta decisão, os trabalhos a serem realizados serão agilizados, outras comissões serão montadas para que no dia da beatificação, tudo possa acontecer do jeito mais simples, mas mais acolhedor possível.

Padre Victor é lembrado pelo testemunho de vida

A Diocese comemorou em suas paróquias o avanço no processo de beatificação e durante a tarde, Dom Diamantino na Catedral celebrou missa em Ação de Graças e por isto, não estava presente em Três Pontas, mas fez questão de deixar um abraço transmitido por padre Ednaldo.

Durante boa parte da homilia, Padre Victor foi lembrado como homem fiel, de virtudes, convicções, humilde, temente a Deus e de coragem. Mesmo tantos anos depois, Padre Victor é lembrado, seu testemunho de vida é para os fiéis auxilio e intercessão e por isto, é que o povo de Deus deve seguir seus exemplos, tudo aquilo que ele lutou e enfrentou.  “O milagre é a assinatura amorosa de Deus diante de um fato e uma realidade que humanamente nós não suportamos”, disse o celebrante.

O fato esperado, mas extraordinário, registrado pela Igreja nesta terça-feira (02), dá a grande certeza da breve beatificação do Venerável Padre Victor. Mesmo depois de sua morte, o sacerdote que teve sua vida um exemplo, intercede junto de Deus. Na explicação ao evangelho da missa solene, padre Ednaldo disse aos devotos, que “a maior prova de gratidão a Deus que cada um pode dar, é fazer da sua vida e da vida dos outros também um grande milagre”.

De certa forma contando a história do santo-sacerdote que marcou história na vida dos trespontanos, recordou que a principal lição que Padre Victor deu, não é de ser coitadinho, é de ser firme, sabendo o que queria. Não era alguém que aceitava tudo, mas era humilde para fazer a vontade de Deus, capaz de perceber o que a sociedade de Três Pontas precisava naquela época. Sabendo separar as questões terrenas e as questões celestes, mas sem desvincular uma da outra.

A missa foi celebrada por tantas pessoas que já passaram diante do túmulo para pedir, rezar e agradecer. Pela cidade que espera pela beatificação. Pela Associação Padre Victor que se dedica e trabalha há tantos anos e por aqueles que de longe esperam este momento.

O processo de beatificação de Padre Victor foi aberto em 1992. Em maio de 2012, o decreto que concedeu o título de “Venerável” a Padre Victor foi assinado pelo Papa Bento XVI em Roma, na Itália.

COMPARTILHAR

Comentários