*Hospital conseguiu quitar R$1,5 milhão e por CND em dia

As dívidas da Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis se arrastam há vários anos. A situação financeira não é boa e todo já sabe. Porém, depois de muito esforço e economia a situação começa a dar sinais de melhoras.

Não é que a posição do Hospital seja de conforto, mas é que as dívidas com o INSS estão quitadas e a tão esperada Certidão Negativa de Débitos, a CND está liberada, desde quinta-feira (16).

Quando a nova administradora hospitalar Keila Maria de Lima assumiu a Santa Casa, em setembro do ano passado, havia uma conta de R$1 milhão e a CND já havia vencido em maio. O prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), usou da sua influência e conseguiu com a Cocatrel e a Unimed recursos para quitar esta conta. Paulo Luis não quis que fosse divulgado na época, mas ele foi avalista do dinheiro. Poucas pessoas sabem disso e se não fosse isto, a Santa Casa poderia ter parado e consequentemente provocado um caos. Neste ano, esta conta já somava R$1,5 milhão. A gestora ressalta que o atual Chefe do Executivo é preocupado com a saúde e tem sido vital e parceiro.

Neste período algumas emendas parlamentares e recursos foram aprovados para o Hospital de Três Pontas, mas tudo parava quando era necessário emitir a CND. Além de barrar verbas de governos, indicadas pelos políticos, fornecedores deixaram de vender medicamentos a preços melhores por conta da falta do documento que hoje é essencial.

O sentimento é de angustia ao ver que o Hospital precisa de dinheiro e por conta da ausência de documentação, isto ficou travado durante todo este tempo. Claro que isto é um problema vivido em todo o Brasil, inclusive nas capitais do País.

Desde que Keila assumiu a Santa Casa documento está vencido
Desde que Keila assumiu a Santa Casa documento estava vencido

“Ter a Certidão é abrir novos horizontes, dar a oportunidade aos políticos que querem ajudar, que nos auxilie a manter o serviço que prestamos com qualidade e a Santa Casa de portas abertas”, afirmou a administradora.

Satisfeita com a mobilização que as cidades que integram a sede de micro que são atendidas pelo Hospital, como Santana da Vargem, Coqueiral, Boa Esperança e Ilícinea estão fazendo, Keila não tem dúvidas de que vai alavancar a Santa Casa, se continuarem ajudando.

Com a CND em dia e uma parte das dívidas quitadas, a Santa Casa vai trabalhar com uma folga, a direção respira um pouco mais aliviada já que será possível fazer convênio com as prefeituras, participar de licitações fornecendo serviços, atendimentos, exames diagnósticos, garantindo uma assistência melhor a todos aqueles que necessitam. Muitos pacientes que precisam de acolhimento precisam se deslocar para Varginha e Alfenas o que agora poderão ficar mais perto de casa.

No início do mês, foram recebidas três propostas de emendas dos deputados federais Bilac Pinto (PR-MG), Carlos Melles (DEM) e Diego Andrade (PSD-MG). É bom esclarecer que estas são verbas carimbadas, ou seja, tem o destino certo e não podem sair daquilo que foi cadastrado no Fundo Nacional de Saúde e depois aberto e inserido no Gerenciador de Indicadores Compromissos e Metas, o GEICOM.

Bilac Pinto indicou R$200 mil para a compra de equipamentos, Carlos Melles mais R$200 mil para a reforma do arquivo médico (SAME), Lavandeira e Farmácia e Diego Andrade, para a compra de materiais de consumo de assistência aos pacientes. Os parlamentares precisam agora é trabalhar para que estes recursos se concretizem.

COMPARTILHAR

Comentários