Servidores do INSS seguem em greve no Sul de Minas (Foto: Reprodução EPTV)

Subiu para 21 o número de cidades que integram o mapa da greve do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) no Sul de Minas. A paralisação, que começou no dia 7 de julho, atinge o setor administrativo do órgão e não tem previsão para terminar. As perícias estão mantidas. Três Pontas é uma das cidades da região que também aderiu a paralisação que começou esta semana.

Parte dos usuários tem sido pego de surpresa pela paralisação.

“Uai, como? As contas estão todas lá sem pagar”, disse a aposentada Terezinha do Carmo Franco, quando recebeu a notícia de que o atendimento agendado para esta sexta-feira (10) mudou para o dia 12 de agosto. Terezinha esperava entrar com o pedido de pensão por morte do marido. Com a greve, soube que vai ter que esperar.

Os servidores do INSS pedem reajuste salarial de 27,5%, além de melhorias nas condições de trabalho e no atendimento à população. Uma reunião aconteceu com o governo federal na terça-feira (7), mas nenhum acordo foi fechado. Existe a expectativa de que um novo encontro com os sindicalistas aconteça até 21 de julho.

Segundo o sindicato regional dos servidores do INSS, o apoio do funcionalismo à greve já chega a 70% na região. Estão integralmente paralisadas as agências de Campo Belo, Monte Santo de Minas, Guaxupé, Itajubá, Passos, São Lourenço, São Sebastião do Paraíso, São Gonçalo do Sapucaí, Santa Rita do Sapucaí, Nepomuceno, Andradas, Boa Esperança, Campos Gerais, Caxambu, Lavras,  Três corações, Três Pontas e Varginha.

Em Poços de Caldas, metade dos servidores apoiam o movimento grevista. Em Eloí Mendes, 40% dos servidores da agência estão parados. Dois funcionários da agência de Alfenas (MG) entraram em greve. A agência de Pouso Alegre, que havia aderido à greve no dia 7 de julho, normalizou o atendimento nesta sexta, conforme o sindicato.

Em nota enviada por meio da assessoria de imprensa no dia 8 de julho, o INSS informou que tem trabalhado para que nenhum atendimento seja cancelado devido à greve e que tem interesse em manter um diálogo com as entidades representativas dos servidores.

O órgão não informou quantos servidores estão em greve na região ou se há usuários que tenham tido o atendimento prejudicado pela paralisação dos servidores federais.

Confira a íntegra da nota enviada pelo INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), acerca da paralisação dos seus servidores em algumas unidades da federação, informa:

1) Os segurados que possuam agendamento para atendimento em uma agência da previdência social (aps) e que não sejam atendidos em razão da paralisação dos servidores terão sua data de atendimento remarcada. o reagendamento será realizado pela própria aps e o segurado poderá confirmar a nova data ligando para a central 135 no dia seguinte à data originalmente marcada para o atendimento.

2) O INSS considerará a data originalmente agendada como a data de entrada do requerimento, para se evitar qualquer prejuízo financeiro nos benefícios dos segurados.

3) A central de atendimento 135 está à disposição para prestar estas e outras informações e orientar os segurados.

4) O Ministério da Previdência Social e o INSS têm baseado sua relação com os servidores no respeito, no diálogo e na compreensão da importância do papel da categoria no reconhecimento dos direitos da clientela previdenciária e, por isso, mantém as portas abertas às suas entidades representativas para a construção de uma solução que contemple os interesses de todos.

Fonte: G1 Sul de Minas

COMPARTILHAR

Comentários