O candidato ao Governo de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB) fez campanha em Três Pontas nesta terça-feira (25). Ele estava acompanhado dos candidatos ao senado, Dinis Pinheiro (SD) e Rodrigo Pacheco (DEM). Anastasia fez na cidade algumas visitas em empresas como a Thega e Tecnotêxtil. Elogiou que nesta última, soube que é fabricada a camisa oficial do seu time do coração, o Atlético Mineiro.

Os políticos foram recebidos no Auditório da Cocatrel por prefeitos, vice prefeitos, vereadores, correligionários e apoiadores de campanha. Candidatos a deputados aproveitaram para mobilizar suas equipes.

Em seu discurso bastante informal, Anastasia elogiou e agradeceu os parceiros e partidos feitas em torno de seu nome. Opinou que esta é uma das eleições mais complexas dos últimos tempos, que vai exigir muita reflexão por parte do eleitor mineiro.

Contou dos desafios que já enfrentou a frente do Governo de Minas, mas que nunca acreditou que a situação chegasse a este ponto, uma crise geral em diversos setores, provocado por um governo desastroso, que apenas reclama e fez diferente do governo tucano, que manteve em dia a folha de pagamento e controlada as finanças do Estado. “O PT acabou com tudo isso”.

O prefeito de Três Pontas Marcelo Chaves Garcia deu boas vindas ao candidato ao governo

O candidato disse que a missão não será fácil e as dificuldades são notórias no primeiro ano de um novo mandato a partir de 2019. A prioridade número um, segundo Anastasia, é colocar em dia as finanças. Depois, regularizar os repasses às Prefeituras que estão sofrendo com a apropriação indébita feita pelo Estado. Além disso, a promessa é não começar uma obra nova antes de terminar aquelas que estão paradas em todas as regiões de Minas Gerais. Antecipou que por isto, a construção da terceira pista na MG 167, entre Três Pontas e Varginha não será feita em um primeiro momento, mas que a obra sempre foi e continua sendo prioridade da sua gestão. “Não é uma obra tão cara, porque é uma terceira pista em alguns trechos e não em todo o trajeto. É uma obra que vai trazer segurança e economia a quem passa por ela”, garante o candidato tucano.

Cocatrel formaliza pedido da terceira pista

Durante a cerimônia, Antônio Anastasia recebeu um pedido formal da Cocatrel solicitando a construção da terceira pista na MG 167 entre Três Pontas e Varginha. No ofício entregue pelos diretores, a cooperativa afirma que “há alguns anos a Cocatrel vem solicitando que o governo olhe com mais atenção para a MG 167. Infelizmente esta rodovia tem vitimado muitas pessoas por ter um traçado extremamente sinuoso e perigoso, com poucos pontos de ultrapassagem, praticamente nada de acostamento e também por conta do intenso tráfego de caminhões pesados.

Foto: Ascom Cocatrel

A cafeicultura é o que move a economia do Sul de Minas, e cerca de 80% da produção de café da região passa pelo trecho da MG 167, que liga Três Pontas a Varginha – o que a torna ainda mais perigosa e lenta para os carros de passeio e nada eficaz para o escoamento do café.

Varginha é hoje, devido ao porto seco, o principal centro de comercialização de café do país. E por isso o movimento que vem desta estrada é grande o bastante para que seja dada uma atenção mais cautelosa e mais agilidade no processo de execução do projeto da construção da terceira pista.

Já foram iniciadas as obras de duplicação do trecho que vai de Varginha à BR381, mas, como dissemos anteriormente, para a cafeicultura ainda não é possível observar benefícios com essa duplicação, já que a maior parte da produção vem da MG167.

Além disso, ainda dentro das necessidades de mobilidade e transporte, existem outros dois anseios da população da região: o primeiro é o asfalto do trecho que liga Três Pontas a Paraguaçu, passando pelo Distrito do Pontalete; e, o outro, de Três Pontas à Fernão Dias, passando por Carmo da Cachoeira”.

O candidato ao governo também recebeu um documento com demandas no Hospital São Francisco de Assis. A instituição vive uma crise acentuada por conta da falta de repasses por parte do Estado. Apesar de todos os esforços e intervenções políticas, o governo não regulariza a situação.

Dinis Pinheiro – candidato ao senado

Digo aqui, a minha alegria em retornar aqui, esta cidade tão acolhedora, com sua ousadia empreendedora, com vocação para vencer. Quero ter a oportunidade de ser senador para defender o agronegócio, a lavoura cafeeira, o homem do campo, acima de tudo a ética, a decência, a generosidade. Porque a grande crise que o Brasil está vivenciando é uma crise de valor, de virtudes e de ética.

Rodrigo Pacheco – candidato ao senado

Espero vencer as Eleições, trabalhando muito para tê-la. Substituir o Anastasia que é um dos melhores senadores do Brasil, com os projetos que lá existem. Defender Minas Gerais junto ao Governo Federal para trazer para o nosso estado, recursos que há muitos anos não vem. Para isto precisamos de firmeza, de caráter e de decência para poder representar bem Minas no senado.

ENTREVISTA
ANTÔNIO ANASTASIA
Candidato ao Governo de Minas Gerais

Candidato, fale da sua visita em Três Pontas.

É um prazer voltar a Três Pontas neste momento eleitoral com muita satisfação. Fazer neste primeiro momento, uma homenagem a memória à ex Conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Adriene Barbosa de Faria Andrade, minha grande amiga que lamentavelmente faleceu precocemente. Quero dizer que volto aqui em campanha político ao governo, para reconstruirmos Minas Gerais e apresentarmos uma proposta de superar este atual momento, que é muito ruim. Atraso no salário dos servidores e nos repasses às Prefeituras e uma situação financeira que inibe a geração de empregos e para o desenvolvimento. Por isto, faremos um trabalho integrado para colocarmos Minas novamente de pé.

Quais serão suas primeiras iniciativas se vencer a disputa ao Governo de Minas? 

Faremos primeiramente um corte muito grande na área administrativa do governo, para reduzir despesas, reduzir secretarias, órgãos e cargos políticos. Em um segundo momento, vamos nos empenhar muito para conseguir aumentar a receita do Estado. Aqui mesmo em Três Pontas, dei exemplo de uma empresa onde houve uma redução tributária e a receita dela subiu três vezes. Isto é possível com inovação, tecnologia e criatividade, sobretudo com credibilidade. Este é um grande esforço que faremos em Minas Gerais. 

Os professores reclamam que durante o seu governo, o senhor transformou o salário deles em subsídio, houve perdas com a retirada de vantagens. O que este profissionais podem esperar de você, caso seja eleito? 

Quero corrigir esta informação que não houve nenhuma perda. Pelo contrário, o salário era composto de um vencimento básico e de gratificações. Elas foram incorporadas para dar transparência no contra cheque. E mesmo assim, nós demos no período de governo entre 2010 e 2014, reajuste médio de 50% no salário dos professores. O salário ainda é baixo. O atual governador se elegeu, prometendo reduzindo impostos e aumentar os salários. Ele parcelou os salários e aumentou os impostos. Eu não vou aumentar os impostos, vou mantê-los, porque em um primeiro momento, não tem como reduzir, mas fundamentalmente eu vou acabar com o parcelamento. E logo depois, com as contas equilibradas e de controladas as contas, vamos lutar e nos empenhar para conseguirmos fazer novos reajustes.

Como resolver a questão da segurança pública, em que uma das maiores reclamações é em relação ao plantão regionalizado da Polícia Civil, quando as viaturas precisam deixar a cidade com um preso e ir até Varginha?

Agora com a nova lei do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), na qual eu fui relator no Senado, nós passamos a ter a possibilidade de novas tecnologias que poderão ajudar muito nesta questão do plantão. Estou confiante que isto posta avançar, porque é um problema antigo que já afeta não apenas Minas, mas vários estados.

Além da construção da terceira pista de Três Pontas a Varginha, um sonho antigo dos trespontanos é o asfaltamento da estrada que liga Três Pontas a Paraguaçu, passando pelo Pontalete. É possível que esta obra saia?

Estava proposta integrava o meu  Programa Caminhos de Minas. Lamentavelmente o atual governo, não moveu nem uma peça em relação a este programa. Como eu disse aqui publicamente, nós temos uma situação financeira muito difícil. A minha pretensão é colocar primeiro as finanças em ordem, depois retomar as obras. Mas a mais urgente aqui, não tenham dúvida é a terceira pista. Depois vamos ver as outras que também são importantes e necessárias.

COMPARTILHAR