Os vereadores da Câmara Municipal de Três Pontas se reuniram na noite desta segunda-feira (18), para mais uma sessão ordinária. Na pauta, apenas dois projetos do Poder Executivo e um terceiro foi incluso a pedido do vereador Antônio Carlos de Lima (PSD). Todos eles tratam de aberturas de créditos adicionais especiais no Orçamento.

Antes das votações, houveram as manifestações no Pequeno Expediente. Os vereadores Érik dos Reis Roberto (PSDB) e Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT) comentaram sobre a proposta da Reforma da Previdência, anunciada pelo Governo Federal.

Na opinião do vereador tucano, o momento é de reflexão, pois a culpa do rombo da previdência recai mais uma vez sobre os trabalhadores e os servidores públicos. De acordo com Érik, o cidadão terá que trabalhar 40 anos para receber uma aposentadoria integral. Ele fez um desabafo na Tribuna e se disse da sua preocupação.

Já Marlene, acrescentou que estão sendo divulgados apenas da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a idade e o tempo de contribuição, mas as pessoas precisam ler na íntegra e perceberá que a Reforma será prejudicial.

Prestando contas, Marlene disse que esteve junto com o presidente da Câmara Maycon Machado (PDT) e o vereador Luis Carlos da Silva “Luisinho”, em Belo Horizonte e conseguiram para a Secretaria Municipal de Saúde, uma Van zero quilômetro para o transporte dos pacientes que fazem hemodiálise e um carro para a Apae de Três Pontas, por intermédio do deputado estadual Carlos Pimenta (PDT).

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (Podemos), solicitou ao Poder Executivo que cumpra a lei de sua autoria aprovada há 16 anos, que determina que todos os alunos passem por exames preventivos com médicos da rede pública, no início do ano letivo de cada ano. Na opinião dele, a prevenção à saude é fundamental.

Outro pedido feito por Robertinho é quanto as bandeiras que não estão sendo hasteadas e colocadas no mastro na Prefeitura. Para ele, isto é um importante ato de civismo.

O vereador Geraldo José Prado (PSD), parabenizou a Secretaria Municipal de Esportes pela festa bonita realizada no domingo (17), na final do Campeonato Rural, no Estádio Municipal Ítalo Tomagnini. Ele se mostrou satisfeito com a organização e feliz com a quantidade de pessoas foram prestigiar o evento.

Nem tudo foram elogios. Coelho reclamou da situação das estradas das regiões do Taquaral, Potreiros e Arara Mirim. Moradores da zona rural tem reclamado da situação ruim. Outras duas reivindicações levadas por ele é quanto ao Pronto Atendimento Municipal (PAM). Uma é da sujeira do local e a outra é quanto a demora no atendimento dos pacientes, principalmente na hora da troca do turno.

O vereador também sugeriu, que a Prefeitura instale um semáforo na Avenida Barão da Boa Esperança, que ficou mais movimentada ainda com a inauguração da filial do Supermercado Moacyr. No local, motoristas abusam da velocidade e a intenção dele, é evitar acidentes.

Três aberturas de créditos

A pauta de votações não foi demorada, foi sem discursos ou debates. Todos os três foram aprovados por unanimidade, apesar do vereador Robertinho manter seu posicionamento de não votar favorável a inclusão de projetos durante a sessão. Mesmo assim, mais um foi inserido e com a decisão de se emitir um parecer conjunto das Comissões Técnicas.

Foram aberturas de créditos adicionais especiais se utilizando de superávits financeiros das contas de transferências – no valor de R$128.788,38, da Secretaria de Estado de Saúde para adquirir bens ou materiais de distribuição gratuita na assistência farmacêutica como a compra de medicamentos; mais R$154.883,75 também para ações na área da Saúde e por fim R$94 mil, sendo R$64 mil para a compra de equipamentos para o Pronto Atendimento Municipal (PAM) e R$30 mil para execução de convênio entre a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, a 151ª Companhia da PM e o Município de Três Pontas.

Neste último, Érik fez o uso da palavra para desabafar a favor do trabalho dos vereadores. Visivelmente irritado, comentou que eles podem colocar projetos na Ordem do Dia durante as sessões, que não estão fazendo nada daquilo que a lei na permita, citando inclusive o Regimento Interno da Casa.

COMPARTILHAR