Foto: Divulgação

 

*Teste indica precocemente nos bebês a língua presa que prejudica a alimentação e provoca o desmame

Loui Jordan

O Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual (CER II) da APAE de Três Pontas, está com um novo serviço em seu leque de atendimentos, que é o Teste da Linguinha. A Instituição que já é pioneira na intervenção precoce em bebês, agora possui de forma exclusiva no município, o teste da linguinha. O plano futuro é expandir esse serviço na microrregião de Três Pontas.

Desde dezembro de 2019, o Centro Especializado da APAE tem feito este novo teste. Além de ser um procedimento muito importante, existem motivos obrigatórios e isso tudo, graças a fonoaudióloga Roberta Lopes de Castro Martinelli. O projeto de lei que obriga a realização do protocolo de avaliação do frênulo de língua dos bebês em todos os hospitais e maternidades do Brasil, é de autoria dela.

O Projeto de Lei é o de nº 4834/2012, que foi transformado na Lei nº 13.002 de junho de 2014. Datas, dados e termos técnicos à parte, a questão é que o exame é padronizado, possibilitando identificar, diagnosticar e por fim, indicar o tratamento de forma precoce a usuários (bebês) que indicarem ter a “língua presa”.

De acordo com fonoaudióloga responsável pelo teste da linguinha no CER APAE de Três Pontas, Daniela Maria Maciel, durante o protocolo, alguns aspectos são avaliados e observados. “Avaliamos a parte clínica, a anatômica e a sucção nutritiva e não nutritiva”. O teste é aplicado somente por profissional fonoaudiólogo, que precisa obrigatoriamente ter o curso da Roberta Martinelli para aplicar o protocolo, afinal de contas, a avaliação do frênulo lingual é feito através de protocolo previamente estruturado.

Pensando no processo da correta amamentação do bebê, o teste é recomendado para recém nascidos com um mês de vida. Para ilustrar a recomendação, Daniela ressalta o quão fundamental é o teste no início da fase infantil. “Dentro de um mês de vida, nós conseguimos visualizar o movimento da língua. Se o bebê tiver a linguinha presa como é usualmente dito, isto pode prejudicar a sua alimentação, além da possível ocorrência de um desmame precoce. Então, quanto mais cedo, melhor”.

O teste leva em consideração os aspectos anatômicos. Existem graus variados de “língua presa”, todos são reversíveis, por isso é fundamental a avaliação nos primeiros meses de vida.

Como fazer e quais os benefícios?

Para fazer o teste, existe data e local: de segunda a sexta-feira, no Centro Especializado, onde são feitos uma média de 60 atendimentos por mês, quando o assunto é o teste da linguinha.

A recomendação é que os pais devam encaminhar o bebê para a avaliação, após o nascimento, no primeiro mês de vida. O teste não dói, não tem prejuízo e muito menos contraindicação e só beneficia a criança. Na maioria das vezes, marcam-se os testes da orelhinha junto com o da linguinha, para facilitar no aspecto de retorno, afinal de contas muitos pais possuem cotidianos preenchidos pelo trabalho.

A eficácia do teste está em tratar as limitações dos movimentos da língua, isso fica evidente na fala da fonoaudióloga. “A ‘língua presa’ está presente no nascimento. Isso ocorre quando tem uma pequena porção da pele do tecido, que deveria ter desaparecido e não desapareceu com o nascimento. Ela permanece na parte baixa da língua. Quando é dado o “pique” (pequeno corte), a língua volta ao normal”, explica Daniela. Com esse tecido e a língua presa, os prejuízos estarão representados na mastigação, sucção, mastigação, na hora da fala e na hora de engolir.

Se o protocolo indicar a presença da “língua presa”, o procedimento que é feito, nada mais é do que o encaminhamento para um médico ou odontólogo, que são os profissionais responsáveis por dar o pique na língua. A criança já sai com o encaminhamento, e evidentemente que é pedido um retorno, afim de fazer um acompanhamento.

Somente estão autorizados a realizar o “pique”, médicos e odontólogos. Neste cenário, o CER II da APAE de Três Pontas aparece como referência da microrregião no teste da lingüinha. Segundo Daniela, o CER da APAE se tornou um grande Centro de Atendimento, pois além do teste da linguinha, já realiza os testes do olhar e da orelhinha. “Como nós queremos centralizar todos os testes para melhor atender ao usuário, todos os exames são feitos aqui. Iniciamos este exame em dezembro e pretendemos expandir em um curto período para cidades da microrregião de saúde de Três Pontas”, declarou a fonoaudióloga.

Os telefones de contato para o agendamento do teste são: (35) 3265-1127 e (35) 3265-1607, sendo que o CER II da APAE está localizado na Rua Barão da Boa Esperança, nº 42, no Centro de Três Pontas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here