Foto: Arquivo EP - retirada antes da pandemia

 

Em plena pandemia, o comércio vive o Dia das Mães, a segunda melhor data de vendas do ano, perdendo apenas para o Natal. E diante de várias restrições para o funcionamento dos estabelecimentos comerciais, seguindo orientações das autoridades de saúde, a Associação Comercial e Agroindustrial de Três Pontas (Acai-TP), conseguiu que as lojas funcionem neste sábado (09), até as 17:00 horas, horário tradicionalmente usado em véspera de datas importantes para o setor. O objetivo de ampliar o horário de vendas, é dar mais conforto e opção ao cliente, permitindo também que o movimento seja diluido e não se concentre um número grande de pessoas. A orientação aos consumidores é que evitem horários que é costume ter tumulto nas lojas. É bom lembrar que todos precisam estar usando máscara, colaboradores e clientes.

O que se pode esperar da venda do Dia das Mães este ano, é uma pergunta que o presidente da Acai Bruno Dixini Carvalho, responde apenas dizendo que a torcida é que seja ao menos igual ao ano anterior ou até melhor, porém, as condições não estão como antes, não dá pra se fazer uma ideia de como será. Infelizmente, as projeções não são animadoras em grande parte dos seguimentos. Mas ele espera que as vendas sejam ordeiras e seguras. Segundo Bruno Dixini, os empresários estão buscando inovar e se reinventar, personalizado mais, fazendo sorteios, utilizando novos recursos e canais, envolvendo outras empresas para um reforçar um ao outro. Ele tem visto como positivo, muitas ideias criativas em torno de praticarem um comércio sustentável em Três Pontas. Precisamos valorizar esses movimentos e participar.

ENTREVISTADO: BRUNO DIXINI CARVALHO
CARGO: PRESIDENTE DA ACAI-TP
PAUTA: VENDAS DO COMÉRCIO PARA O DIA DAS MÃES

 

Equipe Positiva – O Dia das Mães vai perder o poder de ser a segunda melhor data do comércio este ano, por causa da pandemia do Covid-19?

Certamente será um ano atípico porque estamos no meio da pandemia. As mães nunca perdem seu charme, tem uma grande importância essa data, mesmo que não seja financeira, mas pelo seu significado. Tenho certeza que ainda terá sim um apelo forte, porque as mães não esquecem de seus filhos, e os filhos tem que caprichar no dia delas, independente do momento que vivemos.

Quanto vocês esperam de crescimento nas vendas para esta data?

Difícil falar em crescimento nesse momento. Tudo mudou muito. Vão crescer ramos que se adaptaram a venda on-line, e já tem um bom relacionamento dessa forma com o cliente antes da pandemia ou ramos que não sofreram com a crise.

Qual era a expectativa de venda antes da pandemia?

Tinhamos em mente um crescimento médio de 5% com relação a 2019. O Brasil vinha em um ritmo de retomada de confiança e a saca de café está em um preço animador. Uma pena o primeiro cenário ter modificado.

Qual deve ser o perfil do consumidor na compra do presente do Dia das Mães? Qual setor deve ser mais procurado?

Acredito que os supermercados, eletrônicos e perfumaria. Será um Dia das Mães em muitos casos a distância, para não ficar beijando os netos, e nas famílias que já vivem juntos, fazer um almoço gostoso, valorizando mais o ser do que o ter.

Quer dizer que o Dia das Mães pode ser das lembrancinhas?

Pode ser que sim, afinal muitas famílias estão apreensivas e devem investir menos nos presentes. Mas as mães merecem mais, sejamos otimistas.

Muitos comerciantes não estão recebendo mercadorias e não estão podendo ir viajar para fazer compras. Você acha que isto pode provocar o desabastecimento de algum item procurado no Dia das Mães?

Creio que pode sim faltar alguns itens isolados, mas nada que não dê pra ser substituído por algo que encontramos localmente. Acredito que pra minimizar esse impacto, os empresários se prepararam e reabasteceram seus estoques pela internet ou telefone, já que o comércio voltou há alguns dias. Acreditamos que deu tempo de rever os estoques e estratégias para se preparar para a data.

As compras on-line que já cresceram neste período de isolamento, tende a crescer neste Dia das Mães?

Cresceram muito e estão a todo vapor. Com certeza esse ano será recorde, mas a maioria deixa para a última hora, e o comércio lojista sempre está a disposição e salva nesses momentos.

O setor de alimentação é tradicionalmente muito procurado para aquele almoço do Dia das Mães. Os restaurantes devem sofrer perdas em relação aos outros anos?

Provável que tenham um movimento menor, até porque esse ramo teve que ter a quantidade de mesas reduzidas para atender ao distanciamento recomendado pela Vigilância Sanitária. As famílias mais jovens recomendamos que utilizem restaurantes até mesmo para apoiar esse setor, que esteve fechado por muitos dias e sofreu muito com a crise.

O Governo Federal está pagando um Auxílio Emergencial no valor de R$600. Você acredita que ele será utilizado também para comprar um presente para as mães?

Creio que sim. Temos que ver o lado bom dessa injeção de dinheiro extra na economia, vem em um momento muito necessitado, e certamente auxiliará a família a ter um Dia das Mães mais confortável e digno. Esperamos que seja muito bem utilizado, e que gere fartura para os cidadãos que conseguiram receber, e tendem a diluí-lo no comércio de alguma forma, fazendo a economia girar e manter muitos empregos ativos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here