Eles viveram um misto de dúvidas e preocupações nos últimos dias, com a incerteza se a Escola Estadual Monsenhor João Batista da Silveira conseguiria todos os recursos necessários, para garantir que eles fossem para Chiang Mai, na Tailândia, na região sudoeste da Ásia. Quinze alunos que cursam o 8º ano do Ensino Fundamental foram classificados para a segunda fase da Olimpíada Internacional “Matemática Sem Fronteiras” (OIMSF), que acontece entre 16 a 20 de agosto. Dez deles acreditaram e enfrentaram um grande desafio, que foi conseguir os recursos financeiros suficientes para bancar todas as despesas que não são pequenas. Inicialmente o custo previsto era de R$9,6 mil para cada alunos. Com o passar dos dias, com as campanhas realizadas nas redes sociais, vendas de rifas, apoio de empresas e pessoas físicas, o valor da passagem aumentou muito e passou para R$12 mil para cada estudante. A diretora do estabelecimento educacional, Rosiane Aparecida Domingues Brito, que já estava há dias sem dormir, imagina depois desta notícia que teve que dar à cidade. Ela levou um susto, não desistiu, fez suas preces a Deus, por intermédio do Beato Padre Victor e recorreu a quem estava pronto a ajudar, para que o sonho não fosse desfeito. Eles já estavam se preparando para conhecer um outro país e já sabiam a importância e responsabilidade de cada um deles em representar Três Pontas, Minas Gerais e o Brasil, nesta competição internacional. Depois de pesquisar, a diretora conseguiu cada passagem por R$7,4 mil mais o seguro viagem.

Cocatrel abriu caminhos. Oposição na Câmara se assentou com o Executivo para ajudar

Uma das parceiras nesta empreitad, foi a Cocatrel. A Cooperativa doou uma das passagens, com a certeza de que estava investindo na educação e assim, na cidade.

Outras empresas, instituições e pessoas físicas fizeram suas doações dos mais diversos valores, principalmente em uma conta bancária disponibilizada. Todas elas foram fundamentais, garante a diretora Rosiane. Até da Câmara Municipal chegou o montante de R$30 mil, recursos oriundos de emenda parlamentar individual dos vereadores Marlene Rosa de Lima Oliveira e Roberto Donizetti Cardoso. Os dois vereadores, eleitos pelo bloco oposicionista a atual gestão assentou a mesa com a Chefe de Gabinete Melissa Chaves Garcia, conheceram a necessidade da Escola Monsenhor Silveira e prontamente disseram “sim”. Em uma reunião extraordinária durante o Recesso Parlamentar, os vereadores aprovaram por unanimidade que o dinheiro iria para complementar as despesas de viagem.

Foi depois daí, quando tudo parecia resolvido e as malas já estavam afiveladas que se descobriu o aumento meteórico do preço das passagens. Foi neste fim de semana, que eles garantiram a totalidade do montante.

Para arrecadar tudo foi bem vindo. Um jogo realizado entre as escolas Monsenhor e Cônego José Maria, pediu a contribuição de R$2 para assistirem a partida. “Eles estavam tão engajados que no fim de semana, pediram dinheiro até no semáforo e contaram com a sensatez de formandos que estavam lá, pedindo dinheiro para a formatura”, contou a diretora Rosiane Aparecida.

Na manhã desta segunda-feira (12), os alunos, acompanhados da diretora Rosiane e da professora deles, Tamires Maria Silva Brito foram até o gabinete do prefeito Marcelo Chaves. As duas são as responsáveis por eles, a partir da tarde desta terça-feira (13), quando a maratona de viagem começou.

O prefeito Marcelo Chaves os convidaram para tomar um café. Eles contaram das suas expectativas que estão vivendo e do que esperam encontrar em um outro país. A experiência já mexe com todos eles e saber que vão voar para tão longe chega a ser mágico.

O gestor revelou a dificuldade do Poder Executivo em contribuir diretamente financeiro, com dinheiro da Prefeitura. Mas mobilizou muita gente nas redes sociais, por telefone, mas revelou que teve medo de não conseguir todo o valor que era necessário, pois a meta era ousada. Por isto, Marcelo entregou flores para Melissa como forma de agradecer o apoio pessoal dela nesta batalha. “Sem o apoio de vocês nós não conseguiríamos. Ainda mais porque tínhamos pouco tempo”, detalhou.

A professora de matemática Tamires Brito contou que caso não conseguissem o dinheiro para todas as despesas dos 10, deveria haver um critério para garantir o mínimo dos três participantes, mas ela não cogitava fazer. “Quando me perguntavam se fosse para escolher os três, eu apenas dizia ‘nós vamos conseguir’”, respondia a professora.

Roteiro

A viagem começa por terra, as 14:00 horas desta terça-feira. Eles se reunirão na Escola Monsenhor Silveira e seguiram de ônibus cedido pela Prefeitura até o Aeroporto de Guarulhos (SP). Eles devem chegar por volta das 19:00 horas. A partir de lá, a viagem é pelo céu. Eles pegam o avião as 03:05 da madrugada de quarta-feira, no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos até Doha no Catar. Só chegam em Bangkok as 13:15 , quando fazem conexão para Bangkok e as 14:15 levantam vôo para Chiang Mai. Eles terminam e chegam ao destino as 18:15 de quinta-feira (15).

Eles já tem toda a programação definida de toda a estadia. Eles vão direto para o hotel onde ficarão hospedados e terão a quinta-feira livre até a noite, onde são convidados para um jantar de gala. A prova será no dia seguinte, no sábado (17), sem horário definido, mas provavelmente a tarde.

A prova é toda em inglês, composta por 24 questões com problemas de matemática e uma questão surpresa. Como são todos do 8º ano, eles devem ficar na mesma sala e terão duas horas e meia para concluir a avaliação. No dia seguinte, eles farão um passeio turístico, tudo programado pela organização e dentro do que já é pago a todos os participantes. No dia 19, acontece a premiação,ma entrega de medalhas de ouro, prata, bronze e menção honrosa.

Durante a conversa com membros da Administração, no gabinete do prefeito, Melissa Chaves disse que todos devem dar o melhor de si, porém, independente do resultado que aconteça, todos devem se sentirem vitoriosos. “Vocês estão participando de uma competição e precisam estar preparados para ganhar ou não”, alertou.

O prefeito Marcelo Chaves também ressaltou que eles estão levando o nome de Três Pontas para o mundo e devem saber que isto é muito difícil. O desejo do prefeito, é que quando eles voltarem, contem a experiência que vão viver na Tailândia e sirvam como exemplo para outros que busquem conquistar este horizontes. Eles estarão vestidos com uma camiseta com a imagem de Padre Victor. Protegidos por Ele, que é tão famoso por seus feitos, a cidade torce para que estes estudantes sonhadores voltem com um bom resultado, mas que antes de tudo, as coisas ocorram conforme o planejado e a vontade de Deus seja feita.

A chefe de gabinete Melissa Chaves recebeu homenagem do pai Marcelo Chaves, pelo seu empenho à viagem dos estudantes para a Tailândia
COMPARTILHAR