Autoridades conheceram as demandas apresentadas pela população, soube do investimento que precisa fazer para os próximos 20 anos

O Município de Três Pontas recebeu nesta quarta-feira (28), os Planos de Saneamento e de Resíduos, elaborado pela Felco Faleiros Projetos e Consultoria em Engenharia. O trabalho iniciado em 2012, foi apresentado no Auditório da Cocatrel, para servidores da Prefeitura de diversos setores e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae).

De acordo com Cássia Faleiros, a empresa foi contratada este ano e finalizou as etapas 5 e 6 do Plano e elaborou uma minuta de um projeto de lei para ser encaminhado à Câmara Municipal de Vereadores para a sua análise e aprovação. O objetivo geral do Plano Municipal de Saneamento Básico é apresentar o diagnóstico técnico dos sistemas de água, esgoto, manejo dos resíduos sólidos e drenagem urbana, bem como identificar as suas deficiências e propor as melhores alternativas e o plano de intervenção, com as possíveis soluções e ações de ampliação, melhoria ou recuperação do sistema, para o atendimento à demanda futura de serviços, para o horizonte de 20 anos.

No Plano foi visto o diagnóstico dos problemas destas áreas, o prognóstico de como está hoje, como vai ficar em duas décadas se ninguém fazer nada e quais são as ações a serem tomadas para resolver os problemas existentes na cidade.

No que se refere a esgotamento sanitário, um dos grandes desafios que Três Pontas, segundo Cássia é a construção da sua Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Tanto que isto foi apontado pela população, que tem foi ouvido e tem papel fundamental no Plano.  A poluição que acontece nos córregos que passam perto das casas das pessoas, o mal cheiro que provoca esta contaminação, entre outras preocupações foram apontadas pelos moradores e seria um avanço muito grande tratar o esgoto.

Ao ouvir a população , para a avaliação dos serviços de saneamento foi feito um relatório de críticas, sugestões e reivindicações referentes aos quatro serviços de saneamento básico.

Na questão da drenagem, moradores reclamaram da falta de limpeza dos bueiros e o mau cheiro em algumas ruas como a Minas Gerais, da falta de solução para o problema de enchente no bairro Peret, o estado de conservação das estradas rurais, a falta de rede pluvial no bairro Santa Margarida, entre outros. Quando aos resíduos sólidos foi apontado, que faltam lixeiras nas praças e outros locais públicos, uma maior organização na coleta seletiva, a definição de locais para descarte de pilhas e lâmpadas.

No que se refere ao serviço de abastecimento de água, a população reclamou entre outros, da falta de qualidade da água consumida na zona rural, a inexistência de tarifa social e por fim do esgotamento sanitário, a principal é a falta de tratamento do esgoto.

Durante a apresentação dos planos em linhas gerais, chamou a atenção do prefeito Marcelo Chaves Garcia (MDB), a importância da participação da população, não apenas na elaboração do plano, mas também na sua execução. Ele destaca inclusive que é uma exigência legal. E nada mais justo que o cidadão acompanhe se o produto final atende o que foi discutido.

O próximo passo é encaminhar o projeto de lei à Câmara Municipal de Três Pontas para aprovação do Plano de Saneamento e o Plano de Resíduos. Três Pontas passa a ter as duas leis aprovadas a partir do próximo ano, inclusive para a obtenção de recursos, das esferas estadual e federal.

COMPARTILHAR

Comentários