Créditos: Mariana Tiso

 

O Espaço Café recebeu na noite desta terça-feira (25), o palestrante Claudio Luvizzoti. Ele é membro da Academia de Especialistas, tem uma agenda concorridíssima, está entre os cinco mais solicitados do país no seguimento palestras de vendas, lideranças, produtividade e qualidade. Luvizzotti é natural de Leme (SP). Em 18 anos de carreira, passou por mais de 250 cidades e fez mais de mil apresentações em empresas no Brasil e no exterior.

Ele não se vê diferente de quando começou a carreira e a cada palestra se sente mais desafiado, porque a partir do momento que as pessoas se sentem completas e totalmente preparadas, ali passa a morar a estagnação e se perde o compromisso com a excelência. Luvizzotti afirma que milhares de pessoas acreditam nele, mas foi preciso primeiro que ele acreditasse em si mesmo. “Sou alguém que se encontrou numa posição que gosto de estar onde estou. Independente das oportunidades, da qualidade e dos privilégios de uma vida de um profissional bem sucedido, antes de tudo é vital amar aquilo que se faz”, revelou.

Em Três Pontas, na sua iniciativa de ministrar a palestra em benefício a Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis, Claudio Luvizzotti, trouxe o tema “A Arte de Conquistar Resultados Extraordinários”. Sua interação com o público formado por profissionais de diversos setores fez com que as duas horas que ele falou passasse despercebidas. 

Como conquistar resultados extraordinários nos dias de hoje no Brasil?

É  importante entender o seguinte. Quando a gente fala em resultados, não existe um meio termo. Ou você tem resultado ou não tem resultado. O que é mais interessante imaginarmos que o resultado não é um padrão. Não depende daquilo que você estudou, não depende do seu ramo de trabalho, da cidade que você mora. Ele é fruto de uma série de padrões de esforços coordenados em direção a um objetivo definido. Quando a gente vai falar do que é um resultado, é você quem decide. Se você decidir por ceder às dificuldades do mercado, acreditar que as coisas estão difíceis, o seu resultado será desfavorável de produtividade. Isto porque você não acredita neste resultado. O que é mais interessante é quando você olha para o outro lado. A pessoa que segue um padrão, que se dedica, que acredita, que faz as coisas que encantam outras pessoas, naturalmente está a frente daquele que não obtém resultado. O mais importante é a pessoa ser orientada e observada. O resultado você define. O seu trabalho é para conquistar o que você previamente definiu.

Cada pessoa busca um resultado diferente. Como diferenciar isto? 

Vamos imaginar. Primeiro nós não podemos generalizar um modelo de sucesso. Porque sucesso pode ser para uma pessoa e não para a outra. Se existe uma definição interessante para o sucesso, basta você perseguir as boas coisas que você deseja. Se o seu sucesso é de repente entrar em uma academia, ficar em forma, a perseguição a este objetivo, a celebração da conquista, naquele momento você teve sucesso. Se o seu sucesso é reconciliar com alguém que você teve alguma desavença, o seu esforço para que isto seja conquistado, o momento da celebração, da consagração, esta amizade que foi perdida foi reestabelecida, é o sucesso. A mesma coisa serve para aquele que deseja ganhar dinheiro, ter sua empresa bem sucedida. Ou seja, o ingrediente básico se for analisarmos na corrida ao sucesso, é você saber o que você quer, isto é essencial. Muitas pessoas estão trabalhando diariamente, mas sem propósito, sem um foco. Quando não se tem um foco daquilo que você deseja, quando você não trabalha para algo que você acredita, que vai ser o essencial para a sua vida, é difícil dizer que terá sucesso. Porque você pode estar perseguindo aquilo que você não quer.

É possível mudar de objetivo no meio do caminho sem se prejudicar? 

Segundo Albert Einstein dizia que a pior indiotice e burrice do mundo, é tentar buscar resultados diferentes, fazendo as mesmas coisas. Diferentemente de uma máquina, de um avião que tem um ponto para sair, um ponto para chegar, você não é uma árvore. Você pode mudar a qualquer momento. Você muda o seu resultado a partir do momento da sua decisão. O importante é que muitas pessoas não decidem de medo. E é interessante isso. O que seria este medo. De não conquistar muitas vezes impede até iniciativas de começar. Muitas pessoas tem medo de não serem bem sucedidas e por isto não começam. Muitas pessoas tem medo de não venderem seus produtos por isto não investem em uma propaganda. Muitas pessoas tem medo de não serem bem sucedidas e nem se quer ousam. Uma coisa que é importante e eu uso três linhas importantes. Primeiro é o foco. O que você consegue enxergar daquilo que você quer? Você pode enxergar a lua, pode ser seu foco, mas você vai dizer que vai sair daqui para lá, com uma bicicleta, com um carro ou simplesmente com um avião, você não vai em um foguete. Primeiro você precisa saber o que você quer. Segundo, como conquistar aquilo que você quer. Se o primeiro é saber o que eu quero, qual é o foco, o segundo é como eu posso fazer melhor? Se você não consegue ter estas respostas, existe uma biblioteca infinita pelo mundo, existe a internet, existem outras pessoas que pdoem servir de fontes de instrução para ensinar você. Se você não sabe, aprenda como fazer. E o terceiro é paixão, movitação. A paixão é a nossa motivação. A paixão é o que vai dar liberdade e disposição para você fazer aquilo que você não sabe, que vai te dar paciência, para entender que se você não tem aquilo que você quer agora e precisa de um tempo para ter.

Antes de estar bem profissionalmente, é preciso estar bem consigo mesmo?

É claro. Eu vejo que o nosso trabalho é a extensão da nossa vida e não o contrário. A partir do momento que a sua vida tem como extensão o seu trabalho, você começa a viver constantemente a vida na sua empresa. Não tem como desvincular a condição de uma vida profissional, próspera, positiva, se você odeia o que você faz. Não tem como ter resultados extraordinários conseguir sucesso, se você primeiro não gosta do que você faz. Se você não gosta do que faz, pode perceber que as 8, 12, 16 horas mágicas de trabalho, são horas que você está se dedicando num sonho, em algo que você ama fazer, se identifica, em que as pessoas irão perceber o tamanho da sua importância. Prova disso, desta relação empresa-pessoal, podem perceber que há muitas pessoas que não sabe o sobrenome dela, mas sabe da empresa que ela trabalha. Por isto, tanta gente é chamada por João da Borracharia, é o Marcinho da Drogaria Mais… eles não tem o sobrenome, tem o nome da empresa. Mas já pensou se você não gosta do que você faz, está enfrentando um problema quádruplo. A pessoa que faz aquilo que não gosta, não vive bem com ele mesmo porque sempre tem um encontro com algo que ele não aprova. Ele tira a chance de alguém que gostaria. Tem sempre alguém que gostaria de estar onde ele está. Terceiro, ele tira a chance de alguém que receberia um resultado extraordinário. Ela não gosta do que faz, não faz bem, tira a oportunidade de outras pessoas e tira a possibilidade de um resultado extraordinário. Você tem que gostar do que você faz. Você é daqueles que não gosta do que faz, tem  alguma coisa errada.

COMPARTILHAR

Comentários