*Prefeitura afirma que compromissos assumidos estão sendo cumpridos

Os professores e educadores da rede municipal de ensino de Três Pontas, voltaram a se manifestarem, cobrando uma resposta da Prefeitura, sobre o rateio dos recursos da sobra do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Durante toda a tarde desta quarta-feira (16), eles fizeram uma manifestação pacífica em frente ao Centro Administrativo Prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade. Os profissionais se vestiam de preto, usaram apitos, faixas e cartazes, cobrando uma resposta do prefeito Marcelo Chaves Garcia. Os servidores querem saber se o gestor atenderá ao pedido da categoria, de distribuir as sobras do Fundeb, como está fazendo, segundo os profissionais, vários outros municípios e até estados.

A educadora Telma Fonseca contou que após a manifestação da semana passada na Câmara Municipal, elas conseguiram no dia seguinte se reunir com o prefeito Marcelo Chaves e a secretária de Educação Mariane Pimenta. Os profissionais expuseram as necessidades e o direito deles em receberem, sobre as perdas salariais que estão sofrendo desde 2014, mas agradeceram porque a partir do próximo ano será paga a progressão.

Segundo Telma, a Administração entendeu a situação e ficou de dar uma resposta a eles até nesta quinta-feira (17). Havia uma reunião marcada que acabou sendo cancelada. Diante disso, a manifestação foi agendada. “Que ele nos dê um não, mas nos dê uma resposta. Nós merecemos uma resposta”, disse Telma Fonseca.

Rosana Tavares e Telma Fonseca falaram que categoria precisa de uma resposta

A professora Rozana Tavares, acrescentou que os profissionais ficaram satisfeitos com os vereadores, porque a maioria deles assinaram um ofício pedindo que o prefeito faça o rateio. Segundo ela, o dinheiro tem que ir para o salário dos professores e se as progressões estivessem sendo pagas desde 2014, estas sobras não existiriam. Além do que, o Fundeb prevê que seja investido em valorização do profissional e caso ele não seja gasto tem que ser devolvido.

Para exemplificar que a ação que deve ser tomada pelo prefeito de Três Pontas, há experiências positivas de outras localidades que entenderam a importância de se valorizar efetivamente a educação, como as cidades de Varginha, Perdões, Campos Gerais e Itajubá. Por fim, o estado do Amazonas, vai fazer o rateio nos valores de R$4 mil, R$8 mil e R$11 mil.

Rozana Tavares termina dizendo que o professor e educador sofrem, ainda mais este ano com a pandemia. Eles tiveram que investir na troca de aparelho celular, de computador, porque os aparelhos que tinham não davam conta da demanda.

O presidente do Sinfas Valdeci Inácio de Assis, afirmou que o sindicato está dando todo apoio a mobilização em prol do direito dos professores. Na última reunião que fizeram, a categoria havia sido informada que haviam em torno R$760 mil na conta do Fundeb, mas a última notícia agora, é que o montante caiu para R$190 mil. Diante disso, o Sinfas quer que o Município apresente onde este dinheiro foi investido, já que não foi à valorização dos servidores.

 

Prefeitura diz que compromisso está sendo cumprido

A Prefeitura por intermédio da Assessoria de Comunicação se manifestou sobre o caso e  divulgou uma nota, afirmando apenas “que todos os compromissos assumidos com a classe do magistério foram cumpridos pelo atual governo e que tem profundo respeito pelos professores municipais”.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here